Berlim III – museus e feiras de Natal

  Começámos a nossa sexta-feira com o pequeno-almoço em Alexanderplatz onde se pode também ver a Berliner Fernsehturm, a torre da televisão alemã, a construção mais alta do país com 368 metros.

Daqui caminhámos para um dia dedicado quase exclusivamente à Segunda Guerra Mundial. Visitámos primeiro o Deutsches Historisches Museum – Museu  de História de Berlim.

Passámos a manhã  em duas exposições, a permanente com aspectos da História da Alemanha da Idade Média aos nossos dias. O viking e eu evitamos tirar fotografias em museus, com os vidros e luzes de protecção acabam por ficar sempre mal, mas  a padeira em mim não resistiu.

 

A segunda exposição que visitámos abriu agora e documenta a subida de Hitler ao poder. Nesta, por causa de grupos neo-nazis há mais segurança e é proibido fotografar.

O viking tem uma fixação na Segunda Guerra Mundial, e vê tudo com um certo distanciamento científico, mas para mim foi difícil.

Depois de almoço ainda fomos à Topografia dos Horrores – o nome diz tudo – mas eu já não quis ver mais nada, sentei-me num banco a ler os meus guias e deixei o viking a ver a exposição sozinho.

  (Nem tirei fotografias mas deixo aqui o link)

 

Outro ponto obrigatório de qualquer turista em Berlim é Checkpoint Charlie – o local que durante a Guerra fria marcava a fronteira entre a cidade dividida.

A noite foi mais leve, passada numa das muitas feiras de Natal de Berlim. Bebemos vinho quente e claro, como todos os locais, comemos salsichas!!

  

  

 

 

Glögg – vinho quente sueco

Glögg – vinho quente sueco – receita

 

O Glögg é a bebida mais tradicional do Natal sueco, e com a neve e o frio que aqui temos, bem precisamos de algo que nos aqueça quando chegamos a casa. Há imensas variedades de Glögg, algumas receitas até sem álcool. Todos os anos surgem novas combinações de sabores que o viking e eu vamos experimentando. Na Suécia compramos geralmente o Glögg já pronto, mas é demasiado doce para o meu gosto.  Podemos também fazer Glögg em casa, deixo-vos a receita sueca que habitualmente uso quando estou em Portugal. Esta bebida deve consumir-se quente! Como em Portugal não temos um recipiente próprio para manter o Glögg quente, usamos o tachinho do fondue, com uma pequena concha para servir. É um sucesso garantido. Algumas pessoas colocam passas e amêndoas picadas no copo em que servem a bebida.

Receitas – (podem variar as quantidades de álcool ao vosso gosto)

Ingredientes:

7,5 dl de vinho tinto

2 dl de vodka (ou outra bebida branca, a aguardente é também muito comum aqui)

5 colheres de  sopa de açúcar

2 paus de canela

6 cravinhos

1 colher de sopa de sementes de cardamomo

Cascas e sumo de duas laranjas

Preparação:

Misturem todos os ingredientes, excepto a vodka, num tacho  grande. Tapem-no e deixem a ganhar sabor algumas horas ou de um dia para  o outro. Antes de servir juntem a vodka e aqueçam o glögg. Passem a bebida por um passador antes de servir. Guardem as sementes e canela, podem voltar a misturá-las no glögg para ganhar ainda mais sabor para o dia seguinte.