BBD – 4 anos e uma viagem a Itália.

O Bread Baking Day,uma criação da Zorra do blogue  Kochtopf decorre este mês em casa  Da Connie e do Peter, um casal de holandeses a viver na Tailândia. Como  tema  a Connie escolheu Bread with local herbs and/or spices, Pão com ervas aromáticas ou especiarias locais, numa homenagem ao primeiro BBD, cujo tema foi herbs, ervas aromáticas.
Para participar usei,   não uma erva aromática típica da Suécia, onde o endro e o cebolinho são reis, mas  uma das minhas ervas aromáticas favoritas – manjericão, que nesta altura cresce e cresce em vasinhos na minha cozinha.
 
 
 
A minha inspiração foi a tradicional e simples pizza Margherita, e partindo dos seus ingredientes principais fiz uma “Focaccia Margherita”, que acompanhada de queijo mozzarella e grandes copos de Martini e Campari saboreamos numa quente tarde de sábado.
 

Se é a primeira vez que fazem focaccia aqui podem ver outra receita,  passo-a-passo, com péssimas fotografias,  que fiz há um ano.

 

Focaccia Margherita

Ingredientes:

  • 3 dl de água morna
  • 2 colheres de chá de fermento de padeiro seco
  • 1 colher de sopa de mel
  • 2 colheres de sopa + 4 colheres de sopa de azeite
  • 400 gramas (aproximadamente) de farinha de trigo
  • 2 colheres de chá de sal
  • 1 colher de sopa de manjericão seco
  • Tomate cereja a gosto

Para acompanhar:

Mozzarella, manjericão fresco, um fio de azeite. (As bebidas deixo ao vosso critério, mas um aperitivo gelado é vivamente aconselhável!)

Preparação:

Misturem a água, o fermento, o manjericão seco, o sal, o mel e   2 colheres de azeite numa tigela. Quando o fermento estiver dissolvido misturem a farinha e trabalhem a massa durante alguns minutos. Atenção que de acordo com o tipo ou mesmo marca de farinha que estão a usar, podem precisar de menos ou mais quantidade, aconselho-vos por isso a juntar a farinha por várias vezes. A massa está pronta quando se despegar das vossas mãos,  e estiver leve e elástica.

Deixem a massa repousar durante 45 minutos ou até duplicar de volume.

Passado este tempo aqueçam o forno a 200ºC. Espalhem a massa num tabuleiro com 30 x 40 cm previamente untado com 2 colheres do restante azeite.

Decorem com os tomatinhos, eu uso tomates congelados porque acho que de certa forma se desmancham menos no forno, salpiquem se desejarem com um pouco mais de sal, o restante azeite e levem a cozer durante aproximadamente 25 a 30 minutos.

Abram alas… para o que provavelmente é o melhor gelado do mundo.

Salted Butter Caramel Ice Cream  de David Lebovitz – sem alterações nem adendas a uma receita perfeita.

Sem introduções, não vos quero roubar tempo que podem utilizar na preparação deste gelado.
 
 
 
 

Ingredientes  (1 litro de gelado)

Para o caramelo:

  • 100 gramas de açúcar
  • 1 colher de chá de flor de sal ou outro sal de excelente qualidade

Para o gelado:

  • 5dl de leite, nada de leite magro, por favor!
  • 300 gramas de açúcar
  • 60 gramas de manteiga
  • ½ colher de chá de sal
  • 2,5 dl de natas, natas, não é líquido com aspecto suspeito e 2% de gordura.
  • 5 gemas

 Preparação:

Começamos com praline de caramelo, que não é mais do que um caramelo seco, feito sem  água. Se têm pouca prática com este tipo de caramelo, notem que escurece muito mais rapidamente o que exige uma maior atenção à sua preparação.

Espalhem  o açúcar num tacho de fundo grosso e levem ao lume. Entretanto forrem um tabuleiro com o vosso tapete de silicone ou uma folha de papel vegetal untada com óleo. Preparem o sal.

Quando notarem que o açúcar começa a derreter, mexam-no levemente, empurrando-o para o centro com uma colher de pau, até que tudo esteja derretido. Assim que aparecer fumo no tacho, e vos parecer que o açúcar está quase a queimar, deitem-no sobre o tabuleiro. O mais rapidamente possível, salpiquem-no com sal e levantem o tabuleiro de modo a que o caramelo se espalhe por uma área maior. Reservem.

Para o gelado.

Como esta receita exige que se trabalhe muito rapidamente é importante que preparemos um pequeno mise-en-scène:

  1. Preparem um banho gelado enchendo uma tigela com gelo, dentro coloquem outra tigela com 2,5 dl de leite. Por cima da segunda tigela ponham um passador de rede fina.
  2. Coloquem o restante leite e as natas em dois copos
  3. Preparem o sal e a manteiga
  4. Batam ligeiramente as gemas                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     

Coloquem o açúcar num tacho e levem ao  lume até caramelizar usando o mesmo método que utilizámos para o praline.  

Retirem do lume e adicionem a manteiga e o sal, e mexam. É possível que aparecem alguns “torrões” de caramelo, não se preocupem. Levem novamente a mistura a lume brando, mexendo até que os “torrões” derretam.

Misturem no caramelo o leite que têm no copo, e depois as natas. Deitem metade do preparado aos poucos sobre as gemas, batam bem, voltem a colocar tudo no tacho e levem ao lume, sem parar de mexer até este creme “custard” engrossar.

Passem  o creme pelo passador para a tigela onde está o restante leite, e misturem bem. Eu bato preparado com um batedor de varas para ajudar o creme a arrefecer. Coloquem a mistura numa tigela bem fechada e guardem no frigorífico até estar completamente fria, o que pode demorar até oito horas.

Passado este tempo, preparem o gelado usando a vossa sorveteira, ou colocando-o no congelador, e batendo a mistura de vez em quando evitando a formação de grandes cristais de gelo, o que honestamente, e tendo em consideração a riqueza desta receita, é pouco provável que aconteça.

Quando o gelado estiver quase pronto, misturem o praline salgado em pedacinhos e voltem a colocar no congelador até servir. Se resistirem a esperar algumas horas, verão que o praline vai derretendo e criando bolsinhas de caramelo cremoso com um toque final de sal.  Irresistível e absolutamente viciante.