Também vou ao piquenique

E se a mais simples das entradas  se transformasse numa irresistível mistura de aromas, sabores e texturas?

Queijo creme e bolachas de água e sal, tudo feito em casa, ao nosso gosto, em pouco tempo  e com o mínimo de trabalho. Tenho a certeza de que nunca mais vão comprar um caixa de queijo philadelphia.

Com estas simples receitas, participo no piquenique que a Manuela está a organizar para celebrar o primeiro ano do seu blogue. Até ao fim do mês podem também  trazer um prato ou bebida e sentar-se connosco ao Sol. Não deixem de participar.

Fazer queijo creme em casa  é  fácil e  a combinação de sabores que podem usar depende apenas das vossa imaginação. Alho e ervas aromáticas, chili, um pouco de caril….

Eu usei um filtro para a máquina de café  feito de pano e que é reutilizável, mas imagino que um filtro de papel, ou um pedacinho de tecido próprio para fazer queijo sobre um passador fino também resulte bem.

Queijo com menta e limão

Ingredientes: (1,5 dl de queijo)

  • 2,5 dl de iogurte grego ou turco com 8 a 10% de gordura
  • Folhas frescas de menta
  • Raspa e sumo de meio limão
  • Sal e pimenta.

Preparação:

Misturem o iogurte com sal e pimenta. Coloquem-no no filtro de café e suspendam-no sobre um recipiente de modo a que o líquido que vai escorrendo não esteja  em contacto com o fundo do filtro. Guardem no frigorífico durante 12 horas. Misturem o creme que está no filtro com a raspa e o sumo de limão e umas folhinhas de menta picadas, rectifiquem os temperos. Sirvam com bolachas ou legumes em crus em tirinhas. Desde que o  mantenham no frigorífico, o queijo permanece fresco e delicioso durante vários dias.

Bolachas estaladiças:

Ingredientes:

  • 100 gramas de farinha de trigo
  • 75 gramas de farinha de trigo integral
  • 1 colher de café de sal (mais ou menos de acordo com o vosso gosto)
  • 1 colher de chá de canela
  • 1 colher de sopa (rasa) de mel
  • 4 colheres de sopa de azeite
  • Água.

Preparação:

Aqueçam o forno a 200 C

No processador de alimentos misturem todos os ingredientes. Aos poucos vão acrescentando a água até obterem uma massa bem  ligada.

Estendam a massa numa superfície levemente enfarinhada, cortem as  bolachinhas usando cortadores de bolachas, uma faca ou uma roda para fatiar pizzas. (Quanto mais finas, mas estaladiças e saborosas ficam as bolachas.) Piquem as bolachas com um garfo e cozam-nas durante aproximadamente 10 minutos.

Podem  facilmente duplicar a receita e guardar as bolachas durante pelo menos uma semana, numa lata bem fechada, continuam estaladiças e muito aromáticas.

Na marmita esta semana – Tagliata de legumes e salmão com hortelã

Por ser tão simples, estive indecisa sobre se havia ou não de publicar esta receita, mas depois das fotografias tiradas, não resisti a mostrar-vos esta refeição tão leve e onde os legumes, que se cozinham literalmente em segundos, fazem as vezes da pasta.

Para que a marmita continue bonita e saborosa depois de congelada e reaquecida, é importante que não cozinhem demasiado os legumes nem o salmão.

E  antes de vos desejar um bom fim-de-semana, lembro que a nova edição do Convidei para Jantar, organizada pela Carla, está já  a decorrer. Que convidados passarão por nossas casas este mês?

A receita… (tempo total de preparação: 20 minutos)

Ingredientes: (2 marmitas tamanho viking)

  • 2 lombos ou postas de salmão
  • 1 courgette
  • 1 pimento amarelo
  • 1 cenoura grande
  • 1 fio de azeite
  • Sal e pimenta
  • Hortelã ou outras erva aromática de que gostem.
  • Sumo de limão

Preparação:

Aqueçam o grelhador

Com o descascador de legumes, cortem a cenoura e a courgette em tirinhas finas. Limpem e cortem o pimento também em tirinhas.

Enquanto o salmão grelha, cozinhem numa frigideira anti-aderente os legumes.

Comecem por aquecer a frigideira e cozinhar o pimento num fio de azeite. Quando o pimento estiver tenrinho e o salmão já pronto, deitem na frigideira a courgette e a cenoura. Temperem com sal e pimenta, e assim que notarem que os legumes estão a amolecer, retirem-nos do lume. (Não os cozinhem demasiado porque perdem a forma e ficam sem graça nenhuma.

Sirvam temperado com azeite e sumo de limão, decorado com hortelã.

Bread baking day e um pão lindo de morrer

Bem sei que está calor por aí e que de facto não apetece muito ligar o forno nem passar muito tempo na cozinha. Mas pensem  no sucesso que vão fazer quando aparecerem na praia ou  num piquenique de amigos com sandes deste pãozinho tingido de cor-de-rosa.

A massa é muito simples e feita com farinha de trigo e um pouco de fermento de padeiro, o sabor da beterraba é  quase imperceptível, e por isso mesmo que não partilhem comigo a paixão por este vegetal, não deixem de experimentar esta receita.

Preparei a massa toda usando o meu processador de alimentos, é a forma mais simples de fazer a receita, mas podem ralar as beterrabas e fazer a massa à mão ou com a batedeira.

Aproveito esta sugestão para participar no BBD#50  que este mês tem como tema Pães com vegetais e está a decorrer até dia 1 de Junho no blogue From Snuggs Kitchen

A quantidade de farinha pode variar um pouco dependendo das vossas beterrabas, a massa deve ter a consistência de uma massa de pão normal, macia e leve.

Ingredientes: ( um pão de aproximadamente 500 gramas)

  • 170 gramas de farinha de trigo integral
  • 150 a 200 gramas de farinha de trigo para pão  (um pouco mais para a bancada)
  • 1 colher de chá meio cheia de fermento de padeiro em pó/granulado dissolvido num pouco de água tépida
  • 2 dl de água
  • 2 colheres de chá de sal
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 180 gramas de beterrabas raladas (beterrabas cruas)

Preparação:

Ralem as beterrabas, reservem.

No tigela do processador e usando a lamina ou pá de amassar, coloquem  170 gramas de cada farinha, o sal, azeite, água e o fermento dissolvido.

Processem até a massa se descolar das paredes da tigela. Acrescentem as beterrabas e voltem a processar.

Coloquem a massa numa superfície levemente enfarinhada,  se acharem o preparado demasiado húmido, acrescentem aos poucos farinha e amassem bem. O resultado final deve ser uma massa leve e maleável, que não se pega demasiado às vossas mãos.

Deixem a massa repousar numa tigela levemente untada com azeite durante 45 minutos ou até que duplique de volume.

Cuidadosamente deixem a massa escorregar da tigela para a vossa bancada. Com as pontas dos dedos apertem a massa de modo a que esta perca um pouco de ar.  Dêem à massa um formato arredondado.

Coloquem a massa no tabuleiro do forno forrado com papel vegetal. Deixem a massa levedar mais 30 minutos.

Aqueçam o formo a 210 ºC.

Com uma lâmina ou faca muito afiada façam um cortes na superfície da massa.

Cozam durante aproximadamente 45 minutos. Para testar se o pão está cozido, retirem-no do forno, virem-no sobre um pano e com os nós dos dedos batam na parte de baixo do pão. Devem ouvir um som seco e quase oco.

Este teste pode parecem complicado, mas vão ver que com prática se torna quase instintivo.

Não se esqueçam de deixar o pão arrefecer bem antes de o cortar em fatias!