Na marmita esta semana – Tagliata de legumes e salmão com hortelã

Por ser tão simples, estive indecisa sobre se havia ou não de publicar esta receita, mas depois das fotografias tiradas, não resisti a mostrar-vos esta refeição tão leve e onde os legumes, que se cozinham literalmente em segundos, fazem as vezes da pasta.

Para que a marmita continue bonita e saborosa depois de congelada e reaquecida, é importante que não cozinhem demasiado os legumes nem o salmão.

E  antes de vos desejar um bom fim-de-semana, lembro que a nova edição do Convidei para Jantar, organizada pela Carla, está já  a decorrer. Que convidados passarão por nossas casas este mês?

A receita… (tempo total de preparação: 20 minutos)

Ingredientes: (2 marmitas tamanho viking)

  • 2 lombos ou postas de salmão
  • 1 courgette
  • 1 pimento amarelo
  • 1 cenoura grande
  • 1 fio de azeite
  • Sal e pimenta
  • Hortelã ou outras erva aromática de que gostem.
  • Sumo de limão

Preparação:

Aqueçam o grelhador

Com o descascador de legumes, cortem a cenoura e a courgette em tirinhas finas. Limpem e cortem o pimento também em tirinhas.

Enquanto o salmão grelha, cozinhem numa frigideira anti-aderente os legumes.

Comecem por aquecer a frigideira e cozinhar o pimento num fio de azeite. Quando o pimento estiver tenrinho e o salmão já pronto, deitem na frigideira a courgette e a cenoura. Temperem com sal e pimenta, e assim que notarem que os legumes estão a amolecer, retirem-nos do lume. (Não os cozinhem demasiado porque perdem a forma e ficam sem graça nenhuma.

Sirvam temperado com azeite e sumo de limão, decorado com hortelã.

Ajvar e legumes grelhados


Um pequeno percalço com a saúde obriga-me, como sabem alguns dos clientes aqui da Padaria, a estar  um pouco mais ausente da minha casa e das vossas. Obrigada pelos vossos e-mails e mensagens, estou a colocar a escrita em dia o mais rapidamente que possa.

A sugestão de hoje é perfeita para uma refeição leve, pode comer-se fria ou quente e faz uma excelente marmita. Para a marmita do viking, e não gosto de congelar legumes grelhados, preparo-os na véspera e guardo-os no frigorífico.

O ajvar é um molho de origem sérvia  absolutamente delicioso, muito saudável e mil vezes melhor do que os molhos que possamos comprar feitos. O viking gosta de usá-lo a acompanhar carnes grelhadas ou salsichas, mas adaptou-se bem à sua substituição por legumes.

Eu preparo o ajvar em quantidades maiores, e guardo-o no frigorífico em frasquinhos, desde que tenham o cuidado de manter a superfície do molho coberta com um pouco de azeite para evitar que  oxide, dura várias semanas. Um frasquinho deste molho tão diferente e colorido é também um bom presente caseiro para quando vamos a um churrasco ou jantar de amigos.

Senão acompanharem a refeição com queijo feta, este é um prato 100%vegan e muito completo. Sirvo-o com pitas integrais cuja receita partilharei convosco brevemente.

Penso que todos sabemos grelhar vegetais. Eu faço-o num grelhador destes, mas podem optar também por assarem os legumes no forno o que é ainda mais fácil.

Para evitar usar demasiado gordura, as courgettes e as beringelas adoram azeite, grelho os legumes só salpicados de sal. Desde que a grelha esteja bastante quente, os legumes não se pegam e a casa não fica a cheirar a azeite. Depois de grelhados tempero os legumes com azeite, limão e um pouco de orégãos.

A receita do Ajvar:

Ingredientes:

  • 1beringela grande
  • 3pimentos vermelhos
  • 1dente de alho
  • 1chili fresco
  •  azeite
  • Sumo de limão
  • Sal e pimenta
  • Salsa picada

Preparação:

Aqueçam o forno a 225ºC.

Forrem o tabuleiro do forno com papel de alumínio.

Cortem a beringela e os pimentos em quartos. Coloquem-nos juntamente com o dente de alho com casca, no tabuleiro e levem ao forno até que estejam macios. (O dente de alho assa mais depressa, por isso e para evitar que se queime, eu escondo-o debaixo de um pedaço de pimento.)

Pelem a beringela, o alho e os pimentos. No processador de alimentos misturem os legumes com o chili, e parte da salsa picada. Aos poucos vão acrescentando sal, pimenta, azeite e sumo de limão. Quando o creme tiver a consistência e sabor que desejam, deitem-no em frascos, cubram a superfície com azeite e guardem no frigorífico.

Na marmita esta semana – Uma receita portuguesa, dizem eles…

Na revista Buffé, talvez  a maior revista de culinária da Suécia, publicaram o mês passado uma receita a que chamaram “estufado de peixe português”. Eu não conheço esta versão da nossa caldeirada, e honestamente não sei onde foram à ideia de misturar chouriço espanhol  a um estufado, acompanhá-lo com aioli,  e apresentar o resultado como português.

Como queria escrever para a revista e comentar a receita, decidi experimentá-la aqui em casa e, português ou não, este estufado de peixe e pimentos é uma delícia. Admito que estava muito desconfiada com tantos pimentos e a mistura do chouriço, e alterei imenso a receita original que coze demasiado o peixe a acrescenta caldo de galinha ao estufado.

Usei salmão e escamudo do Alasca, mas podem optar por outros peixes, ao estufado podem acrescentar outros legumes  e até batatas.

A nossa interpretação desta receita, o suficiente para 3 marmitas tamanho viking:

Ingredientes:

  • 2 pimentos verdes
  • 1 pimento vermelho
  • 1 pimento amarelo
  • 1 cebola grande
  • 3 dl de polpa de tomate
  • 1 dl de vinho branco /água
  • Rodelinhas de chouriço
  • Filetes de peixe
  • Sal e uns flocos de piri-piri seco
  • 1 fio de azeite

Preparação:

Piquem e refoguem muito levemente a cebola no azeite. Juntem os pimentos limpos e cortados em tirinhas e cozinhem até os pimentos estarem meio tenros. Acrescentem o tomate, o vinho, os temperos e o chouriço, deixem apurar. Por último coloquem cuidadosamente os filetes de peixe cortados em pedacinhos  e cozinhem em lume brando por um par de minutos, o peixe coze muito rapidamente. Rectifiquem os temperos e sirvam com umas folhinhas de hortelã ou dividam em caixas prontas para marmitar.