A minha vida na Suécia

Eu não como pão

O que é pena. Para ultrapassar esta limitação, desenvolvi com ele uma relação platónica.  Quero ser  padeira.

Tenho a gula nos olhos, tenho a gula nas mãos, oiço e cheiro o pão, só não tenho a gula na gula que é onde a devia ter.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s