Bolo de Peras com knäck de noz-moscada

 Fiz há uns tempos uma compota de peras com noz-moscada da qual gostámos tanto que decidi voltar a experimentar esta combinação num bolo. Para a cobertura fiz knäck, uma espécie de caramelo sueco de que já vos falei em Dezembro. O resultado ë um bolo realmente delicioso, enriquecido com várias camadas de sabores e texturas diferentes, a terminar com o prazer de um quase caramelo da vaquinha.
 

Ingredientes:

Para o bolo:

  • 150 gramas de manteiga
  • 150 gramas de açúcar
  • 4 ovos
  • 225 gramas de farinha
  • 1 dl de leite
  • 1 colher chá de fermento em pó
  • 1 colher de chá de canela
  • 1 pitada de sal
  • 3 peras descascadas e partidas em cubinhos

Para o knäck:

  • 1 dl de xarope dourado
  • 1 dl de natas
  • 90 gramas de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de noz-moscada

Preparação:

Bolo:

Aqueçam o forno a 175ºC.

Batam a manteiga com o açúcar até obterem um creme leve e fofo, incorporem os ovos um a um batendo sempre. Misturem a farinha misturada com o fermento, o sal e a canela, alternando com o leite. Deitem o preparado numa forma de bolo inglês (se estão a usar uma forma anti-aderente não é necessário que a barrem), cubram com as peras e levem ao forno durante 45 minutos a 1 hora, dependendo do tamanho da forma.

Quando estiver cozido, deixem o bolo arrefecer um pouco antes de o desenformar, cubram com o knäck e sirvam frio, simples ou com gelado de baunilha.

Para o knäck:

Se nunca fizeram knäck e não estão habituados a trabalhar com açúcar em ponto, leiam este post.

Coloquem todos os ingredientes num tachinho e levem ao lume até atingir ponto de rebuçado mole. Não deixem ferver mais do que 10 minutos, ou vão acabar com um caramelo duro, e embora este seja delicioso como candy, é mais difícil de servir a cobrir um bolo.

Daring Bakers – Abril 2011 – Mousse de xarope de ácer e recipientes comestíveis

 O desafio deste mês foi-nos trazido pela  Evelyne do blogue  Cheap Ethnic Eatz que nos trouxe um dos mais tradicionais produtos do Canadá, xarope de ácer. O nosso desafio foi fazer uma mousse, seguindo a receita da Evelyne, (adaptada de Jaime Oliver is not my boyfriend)   e em conjunto com o desafio dos Daring Cooks que a Renata propôs este mês, criar um recipiente comestível.

 
 
Estes recipientes podiam ser feitos com quaisquer ingredientes, bacon, chocolate, bolo, pão, fruta, legumes… Vejam as criações de todos os Daring Bakers e a receita completa em inglês aqui. Há prémios para os melhores recipientes, e todos podemos votar nos nossos favoritos até 27 de Maio na página – http://thedaringkitchen.com
Eu participei com recipientes feitos de tuiles de framboesa. Como sabem tuiles são uma espécie de bolachas muitíssimo finas que depois de retiradas do forno podem ser moldadas nas formas que desejamos. Inspirei-me em algumas fotografias de flores de ácer vermelho e  com os meus tuiles fiz pequenas flores que enchi com a mousse de ácer. É uma sobremesa diferente, linda e chic a valer!

As receitas:

Tuiles de framboesa

Ingredientes:

2 dl de puré de framboesas (sem sementes)

2 colheres de sopa cheias de icing sugar

Preparação:

Num processador de alimentos, ou usando a varinha mágica, batam o puré de framboesas com o icing sugar. Deitem o preparado num tabuleiro forrado com um tapete de silicone, alisem o puré espalhando-o bem e levem ao formo aquecido a 85ºC durante aproximadamente 90 minutos. O tempo de cozedura depende da espessura da vossa placa de framboesa, e portanto aconselho-vos a irem levantando uma pontinha do puré  testando a sua consistência, Quando estiver pronto descola-se facilmente do tapete e pode ser cortado e moldado como desejarem. Trabalhem rapidamente, depois de frios os tuiles ficam secos e duros.

Mousse de ácer

Ingredientes:
• 240 ml de xarope de ácer
• 4 gemas
• 3 folhas de gelatina
• 360 ml de natas (35 % de gordura)

Preparação:

Aqueçam o xarope até levantar fervura, retirem do fogão. Numa tigela batam as gemas e aos poucos vão adicionando o xarope de ácer. Aqueçam 60 ml de natas e dissolvam neste líquido as folhas de gelatina previamente amolecidas em água fria, juntem batendo bem, ao preparado de xarope e gemas. Reservem no frigorífico até estar quase frio. Batam as restantes nadas em chantilly e adicionem-nas ao creme. Dividam a mousse por tigelinhas individuais ou usem recipientes comestíveis. Guardem no frigorífico até servir.

Um bolo de Páscoa luso-sueco

O bolo de Páscoa que fiz este domingo, uma mistura de sabores e receitas dos meus dois países.
A minha tia, em casa de quem se festeja desde sempre a Páscoa na minha família, faz para este dia um dos meus bolos favoritos – o Bolo Ninho, cozido numa forma especial, recheado com um maravilhoso creme e decorado com fios de ovos.
Na Suécia não temos, ao contrário de Portugal com todos os  nossos deliciosos e variados folares, um bolo que seja típico para o período da Páscoa. A minha sogra costuma fazer um bolinho de amêndoa decorado com chocolate e ovinhos de Páscoa,  mas não me parece que seja algo tradicional, mais que nem sequer o calendário gastronómico sueco indica qualquer bolo especial para esta época.
 

 No meu precioso Receitas das Princesas   – Jenny Åkerström-Söderström (edição de 1933)  encontrei duas receitas de bolos de Páscoa, com ninhos, passarinhos e restante decoração feita a preceito em maçapão. Um destes bolos é realmente parecido com o da minha sogra,  mas recheado e decorado com creme de manteiga e maçapão.

A receita deste bolo foi a base para a criação do meu próprio bolo de Páscoa. Usei a massa do bolo sueco, mas em vez de creme de manteiga e maçapão, decorei o meu bolinho com creme de pasteleiro,  tal como o Ninho da minha tia.  

Embora o bolo tenha uma enorme quantidade de massa de amêndoa, não é demasiado doce. Não é um bolo que cresça, mas por ser tão rico, com uma massa quase a parecer ter a consistenhca de um caramelo mole, que uma pequena fatia é mais do que suficiente para nos satisfazer.

Ingredientes:

Preparação:

Forrem uma forma com papel vegetal e aqueçam o forno a 175ºC.

Ralem a massa de amêndoa, usando um processador de alimentos ou um ralador de cenouras.

Batam as claras e castelo e envolvam-nas na massa de amêndoa. Têm de trabalhar rapidamente pois a gordura e peso de massa de amêndoa faz com que as claras percam o seu ar. Deitem a massa na forma e levem ao forno durante aproximadamente 30 minutos, dependendo um pouco do tamanho da forma.

Depois de frio decorem com o creme de pasteleiro e ovinhos de chocolate.

Glad Påsk!

Um pequeníssimo post apenas para vos desejar uma Feliz e deliciosa Páscoa cheia de Sol e na companhia das vossas famílias.
Durante a próxima semana partilharei convosco algumas fotografias, receitas e tradições da Páscoa sueca.
 
 
Aqui  em casa organizámos já a nossa mini caça aos ovos.
 
 
Chocolates e doces de massa de amêndoa para o viking.
 
 
E um ovo lindo lindo cheio de chocolates belgas só para mim:)
 
 
 

Bolos para dias especiais – Bolo Ópera

Para o aniversário da minha sogra, e antes de começarem as receitas e tradições da nossa Páscoa na Suécia, quis preparar um bolo que ela nunca tivesse provado e com um sabor de que ela gostasse. Escolhi um clássico e riquíssimo francês o Gâteau Opéra . Creme de manteiga e ganache de chocolate amargo entre camadas de bolo de amêndoa ensopado em xarope de café, para a minha sogra, viciada em café, esta foi a escolha ideal.
 
 
A receita tem vários componentes mas nada é complicado, notem no entanto que vai demorar algum tempo. Eu fiz o bolo e o creme de manteiga na véspera. Usei a receita do Masterchef Australia – sessão 2. Podem ver a receita  aqui. Para o bolo, creme e ganache segui a receita original. Em vez de xarope de café, usei uma mistura de café forte e kahlua, o bolo e os cremes já são doces o suficiente e um pouco de café amargo ajuda a equilibrar os sabores.
 
 
 
Geralmente a base do bolo é feita com uma massa a que se chama joconde. Em vez de se cozer numa forma a massa é espalhada num tabuleiro e cortada à medida do bolo depois de cozida. Há alguns meses fiz este bolo num dos mais difíceis desafios dos Daring Bakers, que podem ver aqui.
Como ia transportar o bolo para casa da minha sogra, optei por cozer o bolo numa forma redonda com 26cm de diâmetro. Cozi 5 bolos fininhos, não se assustem, cada bolo demora uns 15 minutos no forno. Se não querem ter tanto trabalho, escolham uma receita de bolo de amêndoa que possam cortar em várias camadas. Antes da receita deixo-vos um pedido de desculpa pela qualidade das fotografias, que foram tiradas um pouco à pressa  durante a festa.
 

As receitas:

Para este bolo vão precisar de:

 – Joconde de amêndoa  ou outro bolo

– Creme de manteiga de café

– Ganache de chocolate amargo

– Molho ou xarope de café.

Molho de café

Misturem:

  • 2,5 dl de café forte
  • Kahlua ou outro licor de café

A Joconde: (fiz duas vezes esta receita para  um bolo que serve 15 pessoas, pelo menos, usando uma forma redonda de fundo amovível com 26 cm de diâmetro)

Ingredientes:

  • 4 ovos
  • 4 claras
  • 150 gramas de icing sugar
  • 150 gramas amêndoas muito finamente torturadas
  • 60 gramas de farinha
  • 45 gramas de manteiga derretida
  • 40 gramas de açúcar

Preparação:

Aqueçam o forno a 200ºC.

Forrem dois tabuleiros com papel vegetal ou o fundo de uma forma.

Peneirem a farinha, a amêndoa e o icing sugar. Batam as claras em castelo e aos poucos adicionem o açúcar, reservem. Batam os ovos até estes duplicarem de volume, envolvam os ingredientes secos, a manteiga derretida e finalmente as claras em castelo. Dividam as massa pelos dois tabuleiros ou coloquem na forma a quantidade suficiente para cobrir apenas o fundo. Levem a cozer por aproximadamente 10 a 15 minutos. Se optaram por cozer a massa nos tabuleiros, cortem a massa ao tamanho e número de camadas que querem para o vosso bolo. Se cozeram a massa na forma, desenformem cuidadosamente o bolo e repitam a operação até  que a massa termine.

O creme de manteiga

 Eu fiz a quantidade indicada na receita, e mesmo com um bolo bastante grande sobrou creme que já congelei. Se estão a usar apenas uma receita de bolo, metade da receita deste creme é suficiente.

Ingredientes:

  • 4 gemas
  • 300 gramas de açúcar
  • 500 gramas de manteiga
  • Café forte e kahlua a gosto.

Preparação:

Levem o açúcar com um pouco de água ao lume num tachinho. Batam as gemas até duplicarem de volume. Quando o açúcar atingir 121ºC ou ponto de bola mole (deixem ferver por mais ou menos 3 minutos), misturem-no nas gemas sem nunca parar de bater.

Continuem a bater a mistura até esta estar fria, ou quase fria, e nessa altura acrescentem-lhe a manteiga em cubinhos e à temperatura ambiente. Aromatizem a gosto com o café e kahlua e reservem no frigorífico.

Ganache  (se sobrar ganache podem fazer trufas, que chatice não é?😉 )

  • 400 gramas de chocolate amargo de boa qualidade
  • 3 dl de natas.

Preparação:

Aqueçam as natas até estas levantarem fervura, juntem o chocolate picado, misturem até estar bem dissolvido e reservem no frigorífico até  endurecer.

Montagem:

Podem montar o bolo directamente no prato de serviço,  ou se o vão transportar, fazer como eu e montar todas as camadas dentro de uma forma forrada com papel vegetal.

Comecem com uma camada de bolo, pincelada com a mistura de café e kahlua, vão alternando camadas de creme de manteiga, bolo+café, ganache, bolo+café, creme de manteiga… Notem que a última camada deve ser de ganache. Guardem no frigorífico até servir.