pão, sourdough

Pão integral – Take II

Para evitar repetir muito o tipo de receitas, e não vos massacrar demasiado com a minha demanda do pão caseiro, tinha planeado publicar esta versão mais simples da receita de ontem daqui a umas semanas. Mas pensei que para alguns amigos da Padaria, esta fosse uma forma bem mais simples de preparar em casa  pão integral saudável e delicioso. É quinta-feira, talvez ainda tenham tempo de comprar alguma coisa que vos falte e experimentar este pãozinho durante o fim-de-semana.

Como podem ver, em vez de uma base de sourdough, adaptei a receita para podermos usar fermento de padeiro. O resultado é igualmente saboroso, mas o aroma, sabor  e até estrutura do pão são claro um pouco diferentes.  Talvez consigam notar nas fotografias que o pão feito com fermento de padeiro tem buraquinhos mais pequenos e cresceu mais no forno.

Algumas notas importantes: (bem sei que escrevo sempre o mesmo)

– Usem farinha de boa qualidade

– Diluam o fermento em água tépida (o ideal é a temperatura do nosso corpo)

–  A forma que tenho para pão é esta, mas qualquer forma de bolo inglês serve perfeitamente.

-Aqui o fermento de padeiro fresco vende-se em cubos de 50 gramas,  que eu divido em quatro e congelo. Antes de o utilizar descongelo-o no frigorífico durante a noite.

-Podem enriquecer esta receita juntando à massa frutos secos e sementes.

Ingredientes:

  • 200 gramas de farinha de centeio integral
  • 200 gramas de farinha de trigo integral
  • 100 gramas de farinha de trigo para pão (tipo 65)
  • 15 gramas de fermento de padeiro fresco, ou uma colher de chá de fermento de padeiro seco
  • 2 colheres de chá de sal
  • 4,5 a 5 dl de água

Preparação:

Diluam o fermento na água, não se esqueçam que a água nunca pode estar quente! Juntem este líquido às farinhas e ao sal. Amassem (é quase misturar porque a massa é bastante húmida e pegajosa), usando a vossa batedeira normal com as pás para massas pesadas (gancho ou espiral), ou à mão. Como a batedeira demora uns 8 minutos, um pouco mais se usarem os vossos músculos.

Coloquem a massa numa tigela ligeiramente untada com óleo e deixem fermentar até duplicar de volume. Pode demorar entre 40 minutos a duas horas, dependendo do vosso fermento e temperatura das vossas casas.

Aqueçam o forno a 240ªC. Deitem a massa na forma de bolo inglês (se tiverem medo que pegue, forrem a forma com papel vegetal),  e levem ao forno, não se esqueçam de baixar a temperatura para 225ºC.

De desejarem uma crosta estaladiça no pão, passados 10 minutos abram o forno e borrifem as paredes com água.

Deixem o pão cozer durante mais 30 a 35 minutos. Para saber se o pão está pronto, desenformem-no e batam com os vossos dedos na parte de baixo do pão, devem ouvir um som seco e oco.

Não se esqueçam de deixar o pão arrefecer bem antes de o fatiarem.

16 thoughts on “Pão integral – Take II

  1. Obrigada por mais esta, Ana.Estou mesmo encantada. Pessoalmente não gosto do pão feito na MFP pois além de ficar com uma forma inestética pois a forma da cuba é pequena e alta, não gosto muito da textura resultante. Faço por vezes a massa e acabo de fazer, manualmente.
    Estou agora contigo a descobrir o pão caseiro.
    Vou experimentar todas, uma a uma;por isso, se quiseres partilhar mais receitas, serão muito bem recebidas.
    Obrigada, uma vez mais.
    Beijinhos
    Maria

    Gostar

  2. Tenho que trazer para casa a batedeira velhinha da minha mãe pois a varinha mágica que tenho em casa tem um fouet apenas para coisas leves (bater ovos com açúcar e pouco mais). Acho que este é um óptimo pão para eu iniciar a produção totalmente caseira.
    Acho que os iscos ainda me deixam “desconfortável”… devagarinho eu chego lá 🙂

    Gostar

  3. Quando faço pão cá em casa há qualquer coisa que acontece de especial, não sei explicar. O pão é algo muito simples, elementar até, mas tão importante que que mexe comigo. Adorei as sugestões, que vou seguir para o meu pão ficar ainda mais delicioso. Obrigado Ana pela partilha, e este pão que está uma tentação : )

    Gostar

  4. Ana, há dois dias fiz o pão de esperta e centeio, com bicarbonato de sódio e buttermilk e saiu fantástico. Qualquer dia vou aventurar-me a fazer pão com isco, até lá vou-me inspirando com as muitas receitas e dicas do teu blog.

    Gostar

  5. Ana, obrigado por teres postado assim uma receita, enquanto não me aventuro com os iscos e massas velhas.
    Ficou belíssimo o miolo, e deve ficar muito bom com umas sementes e uns frutos secos. Que bem amiga!
    Arrefecer é que não sei se cá me casa conseguirão! 🙂
    Um beijinho.

    Gostar

  6. Olá Ana:)
    Eu até agradeço esta versão, que sou um bocadinho azelha no que respeita a iscos e essas coisas mais “estranhas”, que ainda não me atrevi a fazer! (mas hei-de o fazer, que o teu pão fica com um aspeto tão bom que acho que vale a pena experimentar!)
    Este ficou lindo, quentinho com manteiguinha a derreter… hmmmmm!!! 😀 Eu às vezes não me aguento e começo a cortá-lo logo, adoro ver o vapor a sair e o cheirinho que se liberta!! (ai, agora fiquei cheia de fome!)
    Beijinhos e bom fim de semana (ao som do Marco Paulo, Anitaaa 🙂 )

    Gostar

  7. Oh Ana… assim tenho desculpa para não me lançar no isco 😛
    Bom, acho que tenho de experimentar ambas as formas porque ambos os pães estão com um aspeto fabuloso! E isso que vejo no pão é manteiga?? LOL… havias de ver como eu como pão com manteiga (por isso é que a evito como o demónio evita a cruz)… eu é mais: 1 espessura de pão para umas 3 de manteiga 😛

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s