Uncategorized

O que aprendi em oito anos de Anasbageri

Este é um post que há muito pretendo escrever. Uma partilha que me vai demorar muito a compor, reavaliar, que vou deixar nos rascunhos, editar vezes sem conta.

2B817477-A50F-46C0-99BC-5DE48FD02E40.jpeg

Porque nao é fácil abordar o tema de hoje. Não é fácil nem eu me sinto com grande autoridade para o fazer, mas sejamos honestos, há oito anos que escrevo na Anasbageri, alguma coisa devo ter aprendido no que diz respeito a ser-se blogger, ou a manter durante tantos anos um blogue com relativo reconhecimento.

 

É comum aparecerem posts em blogues profissionais sobre como criar e gerir conteúdos de sucesso, como ganhar dinheiro através das nossas publicações.

Mas esse é um ponto que me passa ao lado.  Sobre ter um blogue perfeito nao sei    nada.

9271117E-DEE3-4857-9861-A2892F5213CD.jpeg

Como amadora, o que posso e queria partilhar convosco é  a forma como tentei manter o meu espaço aberto e actualizado, como ainda não perdi a vontade e gosto em partilhar convosco um pouco da minha vida.

O que quero deste blogue?

Imagino por vezes a minha sobrinha daqui a muitos anos, quando eu já não existir a ler os meus posts, a repetir as receitas que partilho, a descobrir mais sobre a tia que vivia tao longe e que era cozinheira. Escrevo para ela.

Gosto de escrever, de compor os meus posts, partilhar as minhas viagens e aventuras no restaurante, de cozinhar e tirar fotografias. O meu blogue nao é uma obrigação nem um ganha pão, é um prazer e um passatempo que me enche de alegria. Escrevo para mim.

Quem me acompanha sabe com o que pode contar. Com o meu empenho e honestidade, com posts mais ou menos assíduos, fotografias mais ou menos bonitas. Pouco glamour, pouca edição, mais cuidado  atenção,  e muito respeito pelos meus leitores. Escrevo para vocês.

Como mantenho o meu interesse e continuo a ter leitores e seguidores?

Sou honesta.

Ser honesta não quer dizer escrever post atrás de post a reclamar, a repetir-me, a massacrar quem abre esta página com a mesma conversa. Se não me sento com os meus amigos todos os dias a queixar-me da vida, porque o faria aqui? Sou honesta porque vos mostra da minha realidade um retrato tanto fiel como possível, mas que bem me faria a mim e aos meus leitores se eu post sim post sim viesse para aqui chamar nomes ao HC?

Tento evoluir e melhorar sempre.

Cada qual escreve como melhor pode e sabe, cada qual tem o equipamento e os props que pode e quer. Mas temos de aceitar que o aspecto visual conta muito nos nossos blogues. O meu guia aqui é a palavra “brio”. Tenho brio no que faço e quero fazer sempre mais e melhor. Apresentar fotografias mais bonitas, partilhar aspectos da minhas viagens interessantes, ter um blogue de que me orgulho.

Nao “encho chouricos” fazer posts só para manter o blogue activo, mesmo quando não tive tempo para escrever nada decente  não é comigo. Sou no blogue como na vida, se não considero o que tenho para dizer interessante, fico calada. Se não tenho uma imagem gira  para mostrar no instagram não publico nada, mas não vou colocar a mesma fotografia dez vezes só para publicar qualquer coisa

E6000F33-80D8-447A-8C21-A2432C35CE59.

 A minha voz.

Se há algo que nos define e que podemos sempre usar  para nosso proveito, é a nossa individualidade. Quem eu sou, os meus interesses e gostos, reflectem-se também na forma como escrevo os meus posts e partilho os meus conteúdos. Sou cozinheira profissional, rata de biblioteca, nerd assumida, viajante amadora. Escrevo sobre aquilo que me é caro e sobre o que sei. Que sentido faria eu ter um blogue sobre maquilhagem ou moda? Ou melhor: lifestyle! O que é isso do lifestyle? Estou ainda para entender.

Tenho noção da realidade e das minhas limitações.

Um dos motivos que me levou a escrever este blogue, foi tentar não perder o contacto com a minha língua. Esforço-me sempre por manter o meu português correcto, mas sei que com o passar do tempo a qualidade da minha escrita tem-se alterado. Falta-me o vocabulário,  troca-se a sintaxe, falha-me o conjuntivo. Sei que já escrevi melhor, mas ter conciência desta minha falha faz-me estar ainda mais atenta e tentar melhorar a minha expressão.

Ah! As fotografias. 

Neste ponto reconheço que melhorei muito durante estes oito anos. Esforço-me, trabalho muito para melhorar,  tenho um equipamento mais ou menos decente e uma cozinha linda, o que ajuda muito. Mas não faço fotografia profissionalmente e não me passa pela cabeça apregoar os meus dotes com “food stylist.”

Vivo com as minhas escolhas

Como bloguer quero dizer algo de determinada forma.  Sei que o meu blogue não segue a receita do chamado blogue de sucesso. Os meus posts são longos, misturo gastronomia com relatos de viagens, posts pessoais…, não  publico  a determinados dias, não sigo em vários pontos o cânone do que se espera de um blogue chamado Padaria.

E o sucesso?

No meu blogue, como em todos os aspectos da minha vida, EU sou a medida do meu sucesso. Não é o número de likes, de seguidores, de visitas ou comentários que me faz continuar e gostar tanto deste espaço. É o  prazer gosto e orgulho que tenho no trabalho que desenvolvo aqui. Um trabalho que  ao longo destes anos tem encontrado eco em cada palavra que vocês me têm dito. Não escrevo para quem por aqui não passa. O meu blogue é uma padaria de portas abertas aos meus clientes que se sentam comigo à mesa, com que converso e partilho um bolo ou uma fatia de pão.

A Anabageri é um blogue de sucesso e do qual me orgulho imensamente. E a vocês, muitos me que seguem desde o início, só posso agradecer. Obrigada pela companhia, por viajarem comigo e com o viking, por se preocuparem com os meninos, por repetirem as receitas, por me pedirem sugestões e partilharem comigo também  um pouco das vossas vidas.

Obrigada por estes oito anos, obrigada.

 

 

 

 

 

11 thoughts on “O que aprendi em oito anos de Anasbageri

  1. Em primeiro lugar,é obra manter um blog durante 8 anos e ainda se ter vontade de prosseguir. Só por aí já dá para entender q n fazes isto para arrecadar seguidores e likes e polimentos ao ego. Depois, é isso mesmo, és honesta, mais do que honesta, és real, n soas como uma máquina bem oleada a dizer tudo o que é certinho e bonitinho e muito editadinho e sempre tudo muito bonzinho. Só isso já é uma lufada de ar fresco, partilhas realidade e não ilusões ópticas. E tens a tua voz, eu acho isso mesmo muito importante, nem tanto perante os outros mas mesmo perante nós próprios, termos a nossa voz e reconhecê-la, saber que é nossa, e que não a queremos mudar para agradar a ninguém, mesmo que acabemos a falar sózinhos numa sala vazia tipo eu lol – sim, eu sei que a minha voz online é o chorrilho de queixumes post sim post sim, sempre a reclamar de tudo e de todos, mas lá está, é a minha voz e eu sei reconhecer que pode não ser a melhor, mas é minha. Gosto deste teu blog mais do que pelas receitas, pelas fotos, pela escrita gosto pela pessoa genuína que se sente por detrás do écrã, e isso, num mundo feito tanto de aparências, para mim é tudo.

    Liked by 1 person

  2. Revi-me em tanto do que disseste nesta publicação tão intimista. Oito anos é obra. Oito anos de partilhas culinárias e de vivências. Oito anos de evolução, como tão bem dizes. Oito anos de honestidade, acima de tudo. Gosto muito deste espaço, porque é genuíno e íntegro. Que venham mais 8 com saúde e muito amor pelo que se faz, porque, como tão bem disseste há pouco no meu blogue, o resto é bónus. Mesmo.
    Um abraço aqui do meio do atlântico.
    Patrícia

    Liked by 1 person

  3. E que continue por muitos mais.
    Este blog é uma lufada de ar fresco, no mundo da “blogaria” (sem desprimor) precisamente porque é honesto e sem compromissos.
    Obrigada Ana. Bem Haja
    Isabel

    Liked by 1 person

  4. Olá Ana,
    Obrigado nós.
    Obrigado por seres quem és, honesta, frontal, amiga, humilde e dona de um coração e generosidade enormes.
    Foste dos primeiros blogues que comecei a seguir, e como alguém já aqui disse, que saudades de ti quando fizeste o interregno…e ainda continuo aqui. Porque será? 🙂 porque o teu blogue é delicioso em todas as suas vertentes.
    Beijinhos grandes
    Marta

    Liked by 1 person

  5. Querida Ana,
    Este post podia ter sido escrito por mim, palavra atrás de palavra, pois acabaste de descrever exactamente o que sinto em relação ao meu blogue e o porquê de o manter.
    Não escrevo muito é certo, mas como dizes, qual o ponto de escrever só por escrever? Se há coisa que detesto é todos os anos, chegado o verão, as pessoas começarem todas a escrever o quanto adoram o sol na pele, os chinelos nos pés ou os pés descalços e andar de manga curta. Qual o ponto de todos os anos chegado o outono, escrever sobre as folhas caídas no chão? Isso tudo são factos e sim, tudo isso é lindo e romântico, mas é copiar posts ano, após ano, após ano…
    Enfim…
    Também não posto por dinheiro e não tenho patrocínios. Tudo o que posto, é comprado por mim e com dinheiro meu é só o faço porque gosto do hobby de ter o blogue, gosto de partilhar receitas boas e o blogue acaba por ser um bocadinho do meu tempo próprio, a minha saúde mental, aliados ao prazer de cozinhar.
    Continua a ser quem é como és, pois é por tudo isso e pelas tuas fantásticas partilhas e imenso conhecimento, que este é um blogue de sucesso e eu não dispenso visitá-lo sempre que o tempo mo permite.
    Obrigada por estares aí e por seres uma inspiração.
    Beijinho

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s