Estarei livre? E a entrada para o jantar de dia dos namorados: Råraka com todos

Estava este ano planeado que não trabalharia no próximo fim-de-semana, o que sendo ou não dia dos namorados, é um motivo de festejos cá em casa.

Isto foi antes das notícias de que teremos banquetes sexta, sábado e domingo. O HC claro, disse-me com olhinhos tristes, “eu não posso mesmo vir”, nem  esperávamos outra coisa, ficamos nós, os de sempre a tomar conta destes eventos.

DSC_0634

O viking está um bocadinho aborrecido, mas para o animar fiz ontem um menu especial, que vou partilhar convosco durante a semana, o nosso menu para um jantar romântico.

A entrada é um prato tradicional sueco, que viram se nos seguem no instagram há umas semanas. Råraka com creme fraiche, endro, caviar e cebolas. É uma versao sueca da entrada russa feita com blinis, é mais rápida e muito mais simples de preparar. No fim do post há uma lista de receitas simples e rápidas que ao fazer um brilharete nos vossos jantares.

DSC_0632

Tradicionalmete usa-se um caviar a que se chama löjrom, é o que servimos no hotel, eu admito que nao sou grande apreciadora de caviar e em casa uso, “caviar vegetariano”, nao tem o mesmo sabor, mas adoro as bolinhas salgadas e fresquinhas. Penso que podem encontrar caviar sueco nas lojas ikea.

DSC_0630

Råraka com caviar, creme fraiche e endro

Ingredientes: (duas pessoas)

  • 1 batata grande ralada e bem espremida temperada com sal e pimenta
  • manteiga para fritar
  • creme fraiche
  • caviar
  • endro

cebolas vermelhas muito finamente picadas.

Preparação:

Aqueçam a manteiga e fritem pequenas panquecas feitas apenas com a batata ralada. Mantenham a temperatura média para evitar queimar a manteiga.

Sirvam com o caviar, endro, cebolas e creme fraiche. Tao simples!

Comer cebolas cruas num jantar romantico nao será boa ideia, mas li que se os dois comerem os mesmos ingredientes, não sentirão o cheiro a cebolas da vossa cara metade.

DSC_0635

Entradas:

Torta de ervilhas e salmão fumado

Waffles com salmão fumado

Vieiras com puré de girassol batateiro

Chevre chaud

Pratos Principais:

Sopa de peixe do Kramer

Salmão do nosso casamento

Risotto de beterrabas

Lombos com pommes Anna e puré de Brócolos

Tagliata de bife com salada e parmesao do Heston

Polenta cremosa com óleo de endro e queijo parmesao

Risotto de cevada e cogumelos

Panquecas de amêndoa e flocos de aveia e o Natal quase aqui

Este ano passamos de novo, e porque eu estou a trabalhar o Natal na Suécia, mas  pela primeira vez vamos festejar esta data em nossa casa. Até comprámos uma árvore de Natal! (Foto no instagram) Eu comecei já a planear o que vamos servir, e tudo o que vou cozinhar. Hoje voltei à minha cozinha e fiz panquecas para o pequeno almoço. Aproveitei e tirei também umas fotografias para  partilhar convosco esta receita simples e saudável, uma boa foram de começar o dia nestas semanas antes dos habituais excessos festivos.

DSC_0380

Esta receita é vegan, sem lactose e sem glúten, e deliciosa.

 

A quantidade é suficiente para alimentar três a quatro pessoas.

DSC_0385

Panquecas de amêndoa e flocos de aveia –  vegan, sem lactose, sem glúten

Ingredientes:

3 dl de água

55 g de amêndoas sem pele

130 g de flocos de aveia

1 pitada de canela

1 colher de sopa rasa de farinha maizena

1 maçã ralada

óleo de coco para fritar

Para acompanhar:

Mel

Frutos vermelhos

 

Preparação:

Num copo misturador comecem por bater as amêndoas e a água. Juntem os restantes ingredientes.

Fritem as panquecas num pouco de gordura, eu usei  óleo de coco. Sirvam com mel e frutos silvestres.

Saladas em pacotes e a “falha” do meu viking

Quando vivia em Portugal nunca comprava saladas já empacotadas e misturadas. Gostava de fazer a minha própria seleção, e manter vários tipos de alfaces e folhas variadas no frigorífico prontas a preparar as saladas que me apetecesse.

DSC_0185
Aqui, e desde que comecei a trabalhar em cozinhas, admito que mudei um pouco. Fazemos poucas refeições em casa. Eu deixei de ter tempo para as marmitas do viking, e acabo muitas vezes por trazer alguma coisa leve para comer do restaurante.
Com o frigorífico meio cheio, e quando notei que a fruta e os vegetais se começavam a estragar, aderi às embalagens muito mais pequenas, vegetais congelados e pacotes de saladas.

Este domingo, pedi ao viking que fosse ao supermercado do outro lado da rua para nos comprar manteiga e um pacotinho de salada. Foi asneira.
O meu marido é o melhor marido do mundo, um pai dedicado dos nossos meninos, nunca se esquece de aniversários, de datas de concertos, sabe que livros ou presentes me deve comprar, é calmo e educado, inteligente e com um fantástico sentido de humor.

DSC_0181

Mas na cozinha…… eu admiro-me como é que ele sobreviveu antes de me conhecer. (diz-me que sabia cozinhar, mas ao longo destes anos foi-se esquecendo, eu finjo que acredito.)

No domingo chegou a casa com um “pacote de salada”, constituído por dois tipos de couve estilo couve-portuguesa, e alho-francês.
O pacote dizia também que devíamos saltear o produto antes de o servir. Notem bem, o meu marido é sueco, vive na Suécia, sabe ler a sua língua, penso eu.
Não estamos a falar de um imigrante turco que coitado foi às compras e sem perceber nada do que estava escrito no pacote nem reconhecer as verduras do país, trouxe para casa couves em vez de alface.

Eu não me deixei abater, passei as folhas por água, temperei-as com azeite e vinagre e comi-as ao jantar, ou, como devem imaginar, ruminei-as enquanto o viking devorou as suas almondegas.

Ainda tenho mais de meio saco de couves que vão acabar em sopa, mas para o meu almoço de hoje e jantar do marido, fiz uma polenta cremosa com óleo de endro, queijo e as bem-ditas couves.

DSC_0189

Dizem-me por vezes que a polenta não tem sabor, e é um pouco verdade. Este é um ingrediente que precisa de ajuda, um bom caldo de legumes, queijo, manteiga….

Para a vossa polenta devem utilizar as indicações da vossa embalagem no que diz respeito a proporções e tempo de cozedura.

Ingredientes:
Polenta
Caldo de cogumelos
Azeite
Sal e pimenta
Queijo parmesão ralado
Manteiga
Óleo de endro
Couves compradas por engano pelos vossos maridos.
Preparação:
Fervam o caldo de cogumelos, acrescentem a polenta e cozinhem em lume brando mexendo sempre, ou quase sempre.
Ao mesmo tempo escaldem a couve um par de vezes, escorram e salteiem num pouco de azeite.
Quando a polenta estiver cozida, misturem um pouco de manteiga e queijo ralado.
Sirvam com as couves, mais queijo parmesão e um pouco de óleo de endro.

Convidei para jantar – Dois pintores

Este mês por pouco não se sentavam convidados à minha mesa, mas cá estão eles: Giuseppe Arcimbold

o e H.R. Giger,  à primeira vista a mais estranha das combinações, e a minha participação do CpJ que decorre em casa da Guida.

Enquanto preparo o nosso petisco, brincam com vegetais da mesa da cozinha, e das suas mãos sai um pequeno Alien feito ao estilo de Arcimboldo. Encantador, não acham?

O petisco segue o tema dos vegetais, pataniscas de milho e cenouras, uma delícia que acompanhamos com cerveja belga, pois claro, e uma leve maionese de leite e coentros.

DSC_0521 (4)ph

Pataniscas de milho e cenoura

Ingredientes:

  • 120 g de farinha
  • 1/2 cdc de fermento em pó
  • 2 ovos
  • 1/2 dl de leite
  • sal e pimenta
  • 1 chili picadinho
  • 1 raminho de coentros picados
  • 200 gramas de cenouras raladas
  • 150 gramas de milho
  • óleo para fritar

Preparação:

Nada mais simples. Misturem rapidamente todos os ingredientes e fritem as pataniscas num pouco de óleo. (Não é preciso fritar estilo batatas, um fiozinho de óleo no fundo da frigideira para ajudar na cor e no estaladiço das pataniscas é o suficiente.

Fotos: http://www.riccart.com/english/Giuseppe-Arcimboldo.htm

mais sobre Giger – http://www.hrgiger.com/frame.htm

O pequeno alien é uma obra de Till Nowak e chama-se “Salad. Vejam mais aqui: http://www.framebox.com/

Na marmita esta semana – Tagliata de legumes e salmão com hortelã

Por ser tão simples, estive indecisa sobre se havia ou não de publicar esta receita, mas depois das fotografias tiradas, não resisti a mostrar-vos esta refeição tão leve e onde os legumes, que se cozinham literalmente em segundos, fazem as vezes da pasta.

Para que a marmita continue bonita e saborosa depois de congelada e reaquecida, é importante que não cozinhem demasiado os legumes nem o salmão.

E  antes de vos desejar um bom fim-de-semana, lembro que a nova edição do Convidei para Jantar, organizada pela Carla, está já  a decorrer. Que convidados passarão por nossas casas este mês?

A receita… (tempo total de preparação: 20 minutos)

Ingredientes: (2 marmitas tamanho viking)

  • 2 lombos ou postas de salmão
  • 1 courgette
  • 1 pimento amarelo
  • 1 cenoura grande
  • 1 fio de azeite
  • Sal e pimenta
  • Hortelã ou outras erva aromática de que gostem.
  • Sumo de limão

Preparação:

Aqueçam o grelhador

Com o descascador de legumes, cortem a cenoura e a courgette em tirinhas finas. Limpem e cortem o pimento também em tirinhas.

Enquanto o salmão grelha, cozinhem numa frigideira anti-aderente os legumes.

Comecem por aquecer a frigideira e cozinhar o pimento num fio de azeite. Quando o pimento estiver tenrinho e o salmão já pronto, deitem na frigideira a courgette e a cenoura. Temperem com sal e pimenta, e assim que notarem que os legumes estão a amolecer, retirem-nos do lume. (Não os cozinhem demasiado porque perdem a forma e ficam sem graça nenhuma.

Sirvam temperado com azeite e sumo de limão, decorado com hortelã.