Bolo Viking – o bolo do meu gigante

Quer queiramos quer nao, há cá em casa ao chegar Fevereiro, sempre algo para lembrar o dia dos namorados. O viking deixou felizmente de me oferecer flores, mas sem uns chocolates ou corações de maçapão  não passamos.

dsc_0518

Continuar a ler

Bolo persa do amor -sem glúten e para dias especiais

E já se aproxima o dia de S. Valentim. No hotel não há menus especiais ou qualquer tipo de festejos, muito trabalhinho para o HC já se vê.

dsc_0487

Continuar a ler

Megas, gigantes e minis…. e uma bolacha para partilhar

Penso que foi há mais de dez anos que vi pela primeira vez, num blogue que se chamava qualquer coisa como Pimp my snack or Pimp that snack, um mars  gigante.

Gigante!

Mais recentemente surgiu também a loucura da mini comida, uma pizza do tamanho de um dedal, um prato de fish and chips não maior do que uma moeda.

DSC_0590

Imagino que no fundo todos temos em nós ainda uma crianças que quer brincar aos gigantes e comer um bolo inteirinho só com uma dentada, e um gigante  que quer ser criança, segurar numa bolacha com duas mãos e fazer este tesouro durar horas.

A receita de hoje é uma bolacha gigante inspirada na oreo  red velvet criada para o dia dos namorados.

DSC_0593

Admito que acho imensa graça a esta forma de brincar com  a comida, e não falo aqui claro das bebidas e comida americanas, dos copos de coca cola de dois litros ou dos hamburgers com cinco quilos de carne.

Para vos ser sincera, acho até esta cultura de ter concursos em restaurantes onde somos desafiados a comer vinte litros de gelado em meia hora assustadores e desrespeitosos.

DSC_0594

É um incitar ao comer demasiado, ao enfardar em vez de nos alimentarmos e apreciar os sabores do que comemos, é um desperdício, um atentado a quem nada tem para comer, aos animais que morreram em vão, e em última análise ao nosso  planeta. Tao triste é por vezes este mundo da abundância e do excesso em que vivemos.

DSC_0599

A minha mega bolacha cabe nos nossos fornos, e serve duas a quatro pessoas. “Então o que é a sobremesa? “tenho ali uma bolacha…”

Adaptado do canal bigger bolder baking onde podem ver mais versões desta  bolacha e a receita original.

 

Super bolacha Oreo do dia dos namorados

Ingredientes: (1 bolacha dupla que cabe num prato de sobremesa.

Bolacha:

  • 100 g de farinha de trigo
  • 90g de açúcar
  • 70 g de manteiga
  • 2 colheres de sopa de cacau
  • 1 colher de chá de canela moída
  • 1 colher de chá de extracto de baunilha
  • 2 colheres de sopa de leite
  • corante alimentar vermelho

 

Recheio:

  • 1 dl de natas
  • 1 dl de queijo creme
  • 1 colher de sopa de icing sugar
  • 1 colher de café de baunilha (uso vagem de baunilha moída)

 

 

Preparação:

Aqueçam o forno a 180°C

Forrem um tabuleiro de forno com um tapete de silicone ou papel vegetal.

Misturem rapidamente todos os ingredientes para as bolachas, podem até usar um processador de alimentos. Lembrem-se é que este tipo de massas não deve ser amassado para não desenvolver o glúten da farinha.

Enrolem a massa em pelicula aderente e coloquem-na no congelador 15 minutos.

Dividam a massa em duas bolas, coloquem-nos no tabuleiro bem afastadas e espalmem-nas um pouco. (a massa vai baixar e espalhar-se mais durante a cozedura)

Levem o tabuleiro ao forno durante aproximadamente 15 minutos. (o centro da bolacha deve estar ainda molinho)

Deixem as bolachas arrefecer e, entretanto, preparem o recheio.

Batam as natas com o icing suagr e a baunilha em chantilly. Acrescentem o queijo e batam rapidamente. Atenção que se o queijo for baixo em gordura vão perder volume  e quanto mais baterem mais liquido fica o creme.

Recheiem a super bolacha, salpiquem com icing sugar e surpreendam alguém que mereça um presente especial.

Crianças, aniversários e a nossa sobremesa extra extra especial

Não sei se  já vos contei mas o viking tem um irmão ainda uns anos mais velho com dois filhos já grandes e um neto.

O neto nasceu o ano passado no dia dos namorados. Isto quer dizer nesta família uma coisa, daqui para a frente, todos os anos dia 14 de Fevereiro, temos festa.

DSC_0660

O viking e eu não temos filhos humanos e não percebemos nada de crianças, só para escolher a prenda para o Mateus tivemos de telefonar duas vezes ao meu cunhado e acabámos por comprar uma bateria para crianças de 5 anos.

Eu admito que tenho pouca, pouquíssima ou nenhuma paciência para festas de família a meio da tarde com meninos a correr e sem acesso a bebidas alcoólicas.

Para me animar o viking trouxe-me o pequeno almoço à cama, lemos um bocadinho, arranjámo-nos e lá nos metemos no carro a caminho da casa do nosso sobrinho.

DSC_0661

À chegada encontrámos a minha sogra que nos disse já ter estado em casa do Jesper muitas vezes e que sabia exactamente em que rua e prédio era. Havia na porta do prédio um cartaz a avisar, “se vieram à minha festa de anos, subam ao segundo andar”

E o viking, “não pode ser aqui, os nomes da Sandra e do Jesper não estão na porta!”

E a sogra: “É aqui, é aqui, eu já cá estive.”

E eu, geladinha:” não me interessa se é esta a morada ou não,  há uma festa de anos, fico já aqui.”

Estávamos na rua errada.

O viking à frente a carregar com a bateria, eu atrás a carregar com a minha sogra que magoou as ancas e vai ser operada.

DSC_0665

Chegámos finalmente a casa do Jesper.

Enquanto tirávamos os sapatos e casacos, veio ao corredor ter connosco um menino todo bem disposto  a quem eu imediatamente me atirei a dizer que estava um homenzinho, todo grande e giro, e parabéns.

E diz-me o meu sobrinho. “Esse não é o Mateus, é um amigo dele, o Mateus só tem um ano ainda não anda….”

Bebemos café, havia bolos, mas eu ainda não tinha sequer almoçado, e tanto o viking como eu passámos as horas que lá estivemos em pânico não fosse pisarmos uma criança…. (andam por todo o lado no chão!!! Com aquelas mãozinhas tao pequenas…. a gatinhar….)

No regresso a casa ainda passámos pelo supermercado para comprar vieras, o viking vez o jantar, e eu tinha já preparado esta sobremesa na véspera.

Foi uma noite calma, em casa com os nossos meninos. Um dia dos namorados igual a todos os outros dias nas nossas vidas, sou uma sortuda.

Uma mousse fresca e leve que esconde um centro liquido e intenso de framboesas, haverá melhor para o dia dos namorados?

Esta sobremesa tem 3 componentes mas é incrivelmente fácil de fazer. Se não gostam de zimbro, podem usar por exemplo baunilha. Eu tenho uma máquina para fazer algodão doce, mas podem também substituir este elemento por frutos vermelhos, um decorar com uma bolachinha.

DSC_0667

Mousse de zimbro e framboesas nas nuvens

 

Ingredientes: (4 porções)

Mousse

1 dl de natas

80 g de açúcar

1 dl de creme fraiche

1 dl de leite

10 bagas de zimbro

1 folha de gelatina

Coulis:

200 g de framboesas congeladas

60 g de açúcar

 

Para decorar:

Algodão doce

Corações

Framboesas secas em pó

 

Preparação:

Começamos com o centro de framboesa.

Levem as framboesas e açúcar ao lume. Deixem reduzir. Passem por um passador de rede fina e  levem o preparado ao congelador em mini forminhas, pode ser por exemplo em formas para gelo.

A mousse:

Esmaguem as sementes de zimbro, levem-nas ao lume num tachinho seco. Demolhem a folha de gelatina em água fria.

Quando começarem a sentir o cheiro a zimbro, adicionem o leite, o açúcar e o creme fraiche, misturem bem.

Acrescentem a folha de gelatina, mexam até dissolver. Passem a mistura por um passador e levem ao frigorifico até solidificar.

Adicionem  ao preparado as natas e batam tudo  até obterem uma mousse muito leve.

Coloquem a mousse em formas de silicone, ou por exemplo copinhos de iogurte em plástico, escondam em cada uma um centro gelado de framboesas.

Levem ao congelador o tempo necessário para poderem facilmente desenformar a mousse. Guardem no frigorífico até servir.

Decorem com corações, algodão doce ou frutos vermelhos.