Mais uma edição do Sweet World – Fraisier

Antes do post de hoje e da receita, uma nota para vos lembrar que gostava muito das vossas sugestões para sabores de gelados, sorbets ou granitas. Vale tudo menos sabores convencionais! Deixem a vossa sugestão, no post do gelado para o monstro da lagoa negra, ou como já alguns de vocês fizeram, na página da Anasbageri no facebook. O prémio é um post escrito para vocês, upa upa!

Um abraço e bom fim de semana, e como sugestão para estes dias com mais tempo para a cozinha….Fraisier!

E chegamos a mais uma edição do Sweet World.  Este mês foi a Lia que escolheu a sobremesa e nos desafiou a fazer um fraiser. Esta é uma sobremesa muito fácil de preparar e que impressiona tanto pelo seu sabor como por ser tâo bonita!

DSC_1051

Continuar a ler

A minha parede, o que nos reconforta e risifrutti caseiro

Se me seguem no instagram já viram certamente imagens da mesa e parede da minha cozinha. É aqui que planeio as nossas viagens,  é aqui que preparo a maioria das minhas receitas, é sentada a esta mesa, e enquanto luto por um espacinho com os meninos que escrevo os posts da Padaria.

DSC_0959

Este espaço é o meu lugar favorito, e todos os dias antes de sair de casa às 4.45 am, encosto-me à bancada uns segundos e olho para a minha parede. Passar pelas memórias destes objectos, ajuda-me a contar as minhas bênçãos, reconforta-me e prepara-me para os dias de trabalho quase sempre complicados.É como um ganhar de forças, de me lembrar do que realmente é importante para mim, do meu percurso, dos meus sonhos e tantos planos ainda por concretizar.

IMG_4192

A parede foi pintada pela minha mãe que nos veio ajudar quando comprámos este apartamento, nem pestanejou quando viu a tinta preta. E embora eu bem saiba que por dentro estava a pensar “onde é que eu errei?” –  disse apenas “vai ficar muito giro”.

O móvel cheio de produtos de mercearia e outros brinquedos meus, foi um presente da minha sogra. Era dela e branco. Nós comentámos um dia casualmente que queríamos um armário assim mas em preto. A minha sogra que é a melhor sogra do mundo, não precisou de ouvir mais nada, na próxima visita tínhamos o armário no seu hall de entrada à nossa espera.O açucareiro de alumínio era da minha farmor, veio comigo quando eu me mudei para a Suécia.

IMG_4200

Temos música e um poster que trouxemos do museu Giger, e que representam algumas das coisas que mais gostamos de fazer: viajar, ir a concertos, visitar museus, filmes….

Nas molduras brancas estão as meias que o meu mano usou durante o TDS e que nos ofereceu depois. (vejam aqui o post sobre o TDS)

A minha kitchen Aid.

Sonhei como todos os que gostam de fazer bolos, anos com uma kitchen aid. Anos. Queria tanto ter uma, mas achei sempre um desperdício de dinheiro, ia às lojas, olhava para elas, escolhia a cor, desistia. “com este dinheiro vou passar um fim de semana a Londres”

DSC_0961Um dia jurei a mim mesma que compraria uma kitchen aid vermelha assim que começasse a trabalhar numa cozinha, mesmo que sejam só umas horas, mesmo que seja um trabalho temporário, primeiro salário vai para a batedeira.E comprei-a, um mês depois do meu primeiro trabalho em Lomma, não com o meu salário, mas espantem-se com as gorjetas!

Olho para estes objectos que não passam disso mesmo, e sinto-me reconfortada, é como ter a minha família comigo, como me lembrar de nunca desistir dos nossos sonhos.

E a propósito de reconforto, partilho hoje convosco uma das minhas “Comfort food” para quando estou doentinha. Na Suécia vendem-se uns potinhos de uma espécie de arroz doce com compota de frutas – Risifrutti, e quando estou tao cansada ou adoentada que não consigo comer mais nada, é uma caixinha destas que me reconforta.

A versão que partilho hoje é um upgrade a sobremesa desta merenda apreciada por tantos suecos.É uma receita fresca, leve e muito fácil de fazer, um arroz doce ideal para o verão que se prepara em minutos!

DSC_0958

Usei framboesas e morangos, mas podem optar por qualquer outro fruto.

 

Para 5 copinhos:

Arroz:

2 dl de arroz cozido em muita água, escorrido e bem frio

2,5 dl de natas

icing sugar a gosto

extrato de baunilha

 

Molho e frutos:

200 g de framboesas congeladas

2 colheres de açúcar

morangos frescos

 

Preparação:

Levem as framboesas ao lume com o açúcar. Quando estiverem desfeitas, passem-nas por um passador de rede fina e esfriem.

Cortem o morangos

Batam as natas em chantilly adicionando o icing sugar e a baunilha

Misturem o chantilly com o arroz.

 

Coloquem um pouco do molho no fundo dos copinhos, encham-nos com o arroz e decorem com os moranguinhos.

Sirvam frio.

Crianças, aniversários e a nossa sobremesa extra extra especial

Não sei se  já vos contei mas o viking tem um irmão ainda uns anos mais velho com dois filhos já grandes e um neto.

O neto nasceu o ano passado no dia dos namorados. Isto quer dizer nesta família uma coisa, daqui para a frente, todos os anos dia 14 de Fevereiro, temos festa.

DSC_0660

O viking e eu não temos filhos humanos e não percebemos nada de crianças, só para escolher a prenda para o Mateus tivemos de telefonar duas vezes ao meu cunhado e acabámos por comprar uma bateria para crianças de 5 anos.

Eu admito que tenho pouca, pouquíssima ou nenhuma paciência para festas de família a meio da tarde com meninos a correr e sem acesso a bebidas alcoólicas.

Para me animar o viking trouxe-me o pequeno almoço à cama, lemos um bocadinho, arranjámo-nos e lá nos metemos no carro a caminho da casa do nosso sobrinho.

DSC_0661

À chegada encontrámos a minha sogra que nos disse já ter estado em casa do Jesper muitas vezes e que sabia exactamente em que rua e prédio era. Havia na porta do prédio um cartaz a avisar, “se vieram à minha festa de anos, subam ao segundo andar”

E o viking, “não pode ser aqui, os nomes da Sandra e do Jesper não estão na porta!”

E a sogra: “É aqui, é aqui, eu já cá estive.”

E eu, geladinha:” não me interessa se é esta a morada ou não,  há uma festa de anos, fico já aqui.”

Estávamos na rua errada.

O viking à frente a carregar com a bateria, eu atrás a carregar com a minha sogra que magoou as ancas e vai ser operada.

DSC_0665

Chegámos finalmente a casa do Jesper.

Enquanto tirávamos os sapatos e casacos, veio ao corredor ter connosco um menino todo bem disposto  a quem eu imediatamente me atirei a dizer que estava um homenzinho, todo grande e giro, e parabéns.

E diz-me o meu sobrinho. “Esse não é o Mateus, é um amigo dele, o Mateus só tem um ano ainda não anda….”

Bebemos café, havia bolos, mas eu ainda não tinha sequer almoçado, e tanto o viking como eu passámos as horas que lá estivemos em pânico não fosse pisarmos uma criança…. (andam por todo o lado no chão!!! Com aquelas mãozinhas tao pequenas…. a gatinhar….)

No regresso a casa ainda passámos pelo supermercado para comprar vieras, o viking vez o jantar, e eu tinha já preparado esta sobremesa na véspera.

Foi uma noite calma, em casa com os nossos meninos. Um dia dos namorados igual a todos os outros dias nas nossas vidas, sou uma sortuda.

Uma mousse fresca e leve que esconde um centro liquido e intenso de framboesas, haverá melhor para o dia dos namorados?

Esta sobremesa tem 3 componentes mas é incrivelmente fácil de fazer. Se não gostam de zimbro, podem usar por exemplo baunilha. Eu tenho uma máquina para fazer algodão doce, mas podem também substituir este elemento por frutos vermelhos, um decorar com uma bolachinha.

DSC_0667

Mousse de zimbro e framboesas nas nuvens

 

Ingredientes: (4 porções)

Mousse

1 dl de natas

80 g de açúcar

1 dl de creme fraiche

1 dl de leite

10 bagas de zimbro

1 folha de gelatina

Coulis:

200 g de framboesas congeladas

60 g de açúcar

 

Para decorar:

Algodão doce

Corações

Framboesas secas em pó

 

Preparação:

Começamos com o centro de framboesa.

Levem as framboesas e açúcar ao lume. Deixem reduzir. Passem por um passador de rede fina e  levem o preparado ao congelador em mini forminhas, pode ser por exemplo em formas para gelo.

A mousse:

Esmaguem as sementes de zimbro, levem-nas ao lume num tachinho seco. Demolhem a folha de gelatina em água fria.

Quando começarem a sentir o cheiro a zimbro, adicionem o leite, o açúcar e o creme fraiche, misturem bem.

Acrescentem a folha de gelatina, mexam até dissolver. Passem a mistura por um passador e levem ao frigorifico até solidificar.

Adicionem  ao preparado as natas e batam tudo  até obterem uma mousse muito leve.

Coloquem a mousse em formas de silicone, ou por exemplo copinhos de iogurte em plástico, escondam em cada uma um centro gelado de framboesas.

Levem ao congelador o tempo necessário para poderem facilmente desenformar a mousse. Guardem no frigorífico até servir.

Decorem com corações, algodão doce ou frutos vermelhos.

A sobremesa do menu de S Valentim no restaurante que vai fazer sucesso em vossas casas – Fondants de chocolate com caramelo, gengibre e framboesas

Só com este título até eu já estou cansada!
Esta é a sobremesa que vamos servir sábado na noite de S. Valentim. Não temos uma mesa livre, e tendo em conta que há sempre quem apareça à última da hora sem ter feito marcação, vai ser uma noite em cheio! Já vos contei que o ano passado o jantar desta note foi uma catástrofe e por isso este ano tínhamos não só de ter um menu catita, como de fazer um serviço impecável.
Fiquei surpresa quando o head-chef me disse para escolher a sobremesa, poder escolher um prato para o menu é uma honra, para “este” menu é ainda mais especial.

DSC_02401
(E é por estas e por outras que mesmo que o HC não seja perfeito e por vezes tenhamos vontade de atirar com o avental e gritar-lhe “faz tu!”, lhe somos tão dedicados e nunca lhe dizemos não.)

Fazer fondants perfeitos à lá minute para mais de cem pessoas é difícil, não vos vou mentir. Há dois anos estive na estação de sobremesas na passagem de ano, e por pouco não chorei.
Tínhamos cento e cinquenta convidados e o head-chef….(momento de lhe apertar o pescoço) só tinha encomendado 12 ramekins. Doze!!! Para cento e cinquenta pessoas!!!

Para o S. Valentim eu podia e devia ter escolhido uma sobremesa mais simples (porque só temos dois fornos que vamos usar para o prato principal ao mesmo tempo que eu cozo os fondants), mas o que é um serviço se não acabar tudo aos gritos e ataques de nervos na cozinha e clientes deliciados na sala de jantar?

E haverá sobremesa mais kitsch e romântica do que fondants de chocolate?

DSC_0243a

Esta sobremesa é fácil e com alguns truques até os noviços na cozinha podem fazer um brilharete. Se nunca fizeram fondants vejam o meu passo a passo aqui.

Aqui fica o guia para a sobremesa perfeita com muito pouco trabalho e um grande sucesso.

Vão precisar de:
– meia receita dos meus fondants de chocolate ( o suficiente para 4 ramekins)
– centros de caramelo para os fondants
– merengues de gengibre
– chantilly
-sorbet de framboesa (comprem já feito)
– framboesas frescas
– canudos de chocolate ou outras decorações

DSC_0248a

De véspera podem:
Fazer a massa dos fondants e colocá-la nos ramekins
Fazer os centros de caramelo e congelá-los
Bater o chantilly
Fazer os merengues com as duas claras que vos sobraram da massa de fondant

20 minutos antes de servir:

Tirem os fondants do frigorífico, coloquem um centro congelado dentro de cada um, e levem-nos ao forno pré-aquecido a 180°C por aproximadamente 10 minutos. (Esta operação vai de-pender dos vossos fornos e tamanho dos ramekins por isso aconselho-vos a fazer um teste an-tes)
Decorem os vossos pratos e tirem o sorbet do congelador.
Desenformem cuidadosamente os fondants, terminem o empratamento com o sorbet e sirvam imediatamente.

As receitas:

Fondants – vejam aqui

Centro de caramelo salgado:

1 dl de leite
1 dl de açúcar
Sal

Preparação:
Levem a lume brando o leite e o açúcar até obterem um caramelo claro. Deitem em mini for-minhas de silicone (estilo para fazer pralinês ou gelo) salpiquem com sal e levem ao congela-dor.

Merengues de gengibre:

Ingredientes:
2 claras (vão ter imensos merengues)
6 colheres de sopa de açúcar
Gengibre em pó a gosto

Preparação.
Batam as claras em castelo, acrescentem aos poucos o açúcar e gengibre. Com um saco de pas-teleiro façam pequenos merengues e levem-nos ao forno até estarem secos e estaladiços (95°C)