A minha vida na Suécia · bebidas · Por aí · suecia

16 085 – o nosso fim de semana em Estocolmo e uma bebida para festejar

Se nos acompanham no Instagram, viram já algumas fotografias do nosso último fim de semana em Estocolmo.

DSC_1097

Continue reading “16 085 – o nosso fim de semana em Estocolmo e uma bebida para festejar”

A minha vida na Suécia · Por aí · Uncategorized

London Calling – Maio 2016 – dia um e algumas dicas e sugestões

Antes de mais obrigada por nos terem acompanhado nas nossas mini férias em Londres durante a semana passada via instagram. Foi um prazer ter-vos tido ao nosso lado.

Neste primeiro post sobre esta viagem deixo-vos o relato do nosso dia 1 e partilho convosco também algumas sugestões práticas. Estas são as nossas dicas, adaptadas ao nosso estilo de vida e preferências, e claro que se procuram outro tipo de experiências, haverá outros e melhores guias. (vejam o fim do post para o guia)

A nossa viagem dia 1 – Trafalgar square, Portrait Gallery e um tesouro escondido

Chegámos a Londres ainda antes de almoço. De Gatwick apanhámos o comboio para Victoria e dai o tube para o hotel.

IMG_3865.jpg
Victoria

 

IMG_3866.jpg
Sozinhos na nossa estação de metro

Como ainda era muito cedo para o check in, deixámos as malas e fomos logo dar um passeio pelo Hyde Park.

De Marble Arch apanhámos o autocarro para Trafalgar Square e para visitar os dois locais que nunca perdemos sempre que visitamos Londres.

DSC_0845

IMG_3880

IMG_3879

A cripta da igreja de Saint Martin in the fields deve ser um dos melhores tesouros escondidos de Londres.

IMG_3870

DSC_0850

Comer numa cripta nao é para todos, é um restaurante mais estilo cantina, com mais velhotes locais a comer do que turistas, é barulhento e a dar para o escuro, mas a comida é honesta, simples e fresca.

Aqui em vez de “sir” os  clientes são tratados por “love”, podem almoçar, ou comer um bolo, um café, até afternoon tea, sempre com preços muito acessíveis.

IMG_3877

IMG_3875

Vejam aqui o menu e direccoes.

Eu, peco sempre  crumble e uma banheira de custard, até desta vez com um calor de derreter! Tem de ser! Comi também uma sopa, o viking fish and chips. Partilhámos a sobremesa que claro nao conseguimos terminar.

IMG_3873

IMG_3872

DSC_0851

Do outro lado da rua está o meu local favorito em Londres a National Portrait Gallery.

IMG_3878.jpg

A entrada neste museu é livre, e aqui passamos sempre horas, eu se pudesse passava aqui dias, mas o Viking passado algum tempo comeca a reclamar com fome e sede….

Como nao podemos tirar fotografias dentro do museu, retirei imagens do site do museu para vos mostrar as minhas trës imagens favoritas.

As irmas Bronte

NPG 1725; The BrontÎ Sisters (Anne BrontÎ; Emily BrontÎ; Charlotte BrontÎ) by Patrick Branwell BrontÎ
by Patrick Branwell Bronte, oil on canvas, circa 1834 (no centro da imagem, mais ou menos tapado com um pilar, está o que se pensa ser o auto-retrato do irmão Bronte, autor da pintura.

Marc Quinn – Self

NPG 6863; Marc Quinn ('Self') by Marc Quinn
by Marc Quinn, blood (artist’s), liquid silicone, stainless steel, glass, perspex and refrigeration equipment, 2006 –

Desta vez para grande desapontamento meu, e mais um “Aiiiiiiiiiiii que calor tenho de ir beber qualquer coisa” do viking, a cabeça  não estava em exposição.

Eu assim que cheguei vi que  nas salas onde a costumo encontrar havia uma exposição temporária, corri escada acima escada abaixo, nada. Perguntei finalmente a um guarda:

-Desculpe, onde está a cabeca do Marc Quinn?

– Nao está em exposicao, está a restaurar …..

-Nooooooooooooooooooo!!!!!!

-Volta em Junho…..

-yeah……

E o meu retrato favorito, a imagem que me  faz voltar a este museu vezes sem conta, qualquer dia masacro-vos com com post  e uma sobremesa baseados nesta imagem.  Assim que chego ao museu corro escada acima e no labirinto de salas, visitas de estudo de escolas e turistas, lá está ela à minha espera. O viking senta-se a descansar, brinca com telemóvel, “já podemos ir ver as outras salas?”, “só mais um bocadinho”.

A mulher de Charles I num vestido verde, não ha retrato mais belo em todo o museu.

NPG 1247; Henrietta Maria by Unknown artist, background by  Hendrik van Steenwyck
by Unknown artist, background by Hendrik van Steenwyck, oil on canvas, circa 1635

Embora estivéssemos bastante cansados ainda demos um passeio, fomos a Carnaby Street comprar Doc Martens, bebemos cerveja e uma sangria e fomos andando para casa ao fim da tarde.

IMG_3883.jpg

IMG_3884.jpg

 

Tinhamo-nos levantado antes da quatro da manhã. e com tanto calor e cansaço optámos por comprar umas saladas no waitrose, e ir para o hotel tomar banho e finalmente dormir!

IMG_3886.jpg
A nossa casinha em Londres

 

 

 

No dia dois –  próximo o post:

Gilbert Scott

O meu viking parte-me toda

e  Fortnum e Mason

______ _____ _______

Se conhecem bem Londres, saltem esta parte do post que honestamente estou a escrever para clientes da Padaria que planeiam visitar a cidade.

Chegar a Londres e Transportes:

O viking e eu viajamos para Londres de Copenhaga, e quase sempre com a easy-jet. Como o Magnus é muito alto compramos os bilhetes  para lugares com mais espaco para as pernas e compramos também duas malas de porão. Ainda assim quase sempre voar com a easy-jet é uma alternativa mais económica e em voos curtinhos vale a pena. Voamos para Gatwick e penso que estes voos também estão disponíveis de Portugal. Ainda abordo podem comprar os bilhetes para o Gatwick Express para o centro de Londres, de outra forma podem adquirir os bilhetes com muita facilidade no aeroporto.

Este comboio leva-vos ao centro de Londres e  na estacao de Victoria há ligação ao metro/tube.

Em Victoria podem comprar um Oyster card. É uma espécie de passe, na primeira vez compram o cartão e recarregam, depois disso basta recarregar, nós temos os nossos há anos.

Pagam por viagem, mas há um limite diário para o dinheiro que é debitado do cartão. Podem ler mais sobre o Oyster e fazer o dowloado dos mapas de metro e autocarro aqui.

Viajar de metro/tube é a forma mais rápida de nos movimentarmos em Londres, mas nós preferimos os autocarros. Eu adoro este mapa dos autocarros de londres, sabemos sempre ondes estamos e o que podemos visitar a seguir. Há linhas que atravessam a cidade passando por imensos locais conhecidos, e escusamos de andar naqueles autocarros cheio de turista japoneses.

london-bus-map-big.jpg

 

Onde ficar:

Há uns anos estivemos em Londres, ao mesmo tempo que o meu sogro, quando nos escontrámos para tomar chá descobrimos que ele e a mulher estavam a pagar por noite no hotel deles o equivalente a quatro noites no nosso.

Essencial para nós é um quartinho limpo com casa de banho só para nós, Wi-fi, central e com uma ligação próxima ao tube, ou estacao de autocarro.

A nossa área favorita para ficar é Paddington e Bayswater, uma zona cheia de hotéis e restaurantes, muitos turistas e muito central. Fica na parte de cima do hyde park e podem daqui caminhar para por exemplo Oxford Street ou Notting Hill.

Nas nossas últimas visitas temos ficado no Corus hotel, e recomendo. Os quartos não são enormes, mas têm tudo o que precisamos e atravessando a rua estamos no Hyde  Park. Eu adoro sair e caminhar pelo parque até Marble Arch.

Nós nunca escolhemos a opcao de tomar o pequeno almoço no hotel, é caro e como eu apenas bebo café nao vale no nosso caso a pena. Há imensos lugares onde podem comer uma sandes, ou um iogurte e um café. O viking e eu gostamos to Prete a Manger para o pequeno almoço. Há também muitos pubs que servem o pequeno almoço típico e hotéis que “oferecem” o pequeno almoço.

O que visitar

Há uns anos li num fórum de viagens um comentário de alguém que diz que tinha ido a Londres e regressado muito despontada  porque tirando uns pubs não havia nada para fazer ou visitar.

Eu encontro sempre coisas novas para fazer, mas planeio a viagem de casa. Há museus que só visitei uma vez e locais aos quais volto outra e outra vez.

Na primeira vez que o viking e eu fomos juntos a Londres, e como querimaos visitar imensas coisas os dois, fizemos um plano para todos os dias, e comprámos online bilhetes para locais onde sabíamos já que ia haver grandes filas como a torre de Londres.

Planear a viagem é essencial para nós, porque detestamos férias de papo para o ar, mas aqui como em tudo, há gostos paa tudo.

Podem ler mais sobre onde comemos, o que fazemos e o que visitamos, nos posts com a Tag – Londres.

A minha vida na Suécia · A Pastelaria · comida sueca · Por aí · Restaurantes · suecia

O melhor fica para nós ….mas eu partilho convosco a nossa escapadela desta semana

A minha avó é o paradigma do “vamos andando”.

O seu mantra é “o melhor fica para nós”, o que por outras palavras significa nao contar a estranhos, aka, pessoas fora da família, nem as nossas tristezas nem as nossas alegrias.

Se contamos uma desgraça é porque nos fazemos de coitadinhos, se partilhamos uma alegria é porque somos toleirões.

Cresci assim….não se diz nada.

Esta foi uma regra que aos poucos fui quebrando  quando abri a padaria o que nao  deixou a minha família propriamente  a saltar de alegria.

Ainda assim penso que demorei  quatro anos a partilhar uma fotografia minha, ou a contar-vos que o meu viking na realidade se chama Magnus.

Por trás deste anonimato que a internet nos permite, estava acima de tudo o medo de ser mal compreendida. E se os meus leitores pensam que me ando a armar aos cucos……

Desde comecei a partilhar convosco para além das minhas receitas,  um pouco mais da minha vida, com as suas tristezas e alegrias, raramente (embora aconteça) tenho recebido um comentário desagradável, e é por isso que continuo a contar-vos  a minha vida fora da cozinha.

Recebo  imensos e mails de leitores que gostavam de ver mais posts sobre a Suécia e sobre como é viver aqui, que gostam de espreitar o meu dia a dia e é para eles e para todos que se alegram com a alegria dos outros o meu post de hoje.

Se me seguem via instagram ou facebook já viram algumas destas fotografias J

Fomos esta semana numa muito curta road trip a Estocolmo, eu tinha uma hora marcada na embaixada de Portugal para renovar o passaporte, sim eu recuso-me a ter um passaporte sueco.

O viking apanhou-me no restaurante depois do meu turno, que começa às 5.30 am, e lá fomos nós, aqui ficam alguns momentos da nossa pequena escapadela de 28  horas.

IMG_3770
Saímos de Malmö com chuva e muito frio nem parece que estamos já no fim de Abril
IMG_3787
Um dos meus marcos favoritos a caminho de Estocolmo é o Senhor Peixinho, ou na realidade o Gigante Vist. Nas maos tem um molho de ervas com o qual segundo a lenda fez uma ilha.
IMG_3790
Ficamos alojados no hotel Infra City entre o centro de Estocolmo e o aeroporto. Mais um hotel Scandic que conhecemos 🙂

O nosso quarto no nono andar era enorme e tinha até uma mini cozinha e um frigorifico extra. (não fosse apetecer-me cozinhar) Como sou trabalhadora da companhia recebemos também um tapinha com doces e fruta.

Jantámos já tarde no hotel, nada de especial e até honestamente abaixo do standard dos restaurantes Scandic em que já comemos.

A sala de jantar/pequeno almoco parece saída de um filme do James Bond e ocupa todo o átrio do hotel. é meio selva, meio estilo piroso, fontes, estátuas, lagos com peixe, pontes, quedas de água…..ui….sem palavras.

IMG_3799

IMG_3805

IMG_3801

IMG_3808

Depois do pequeno almoço dirigido-nos ao centro de Estocolmo onde eu tinha uma hora marcada para renovar o meu passaporte. O edificio onde se situa a embaixada e a secção consular é tao bonito que não resistimos a tirar umas fotografias.

IMG_3815

IMG_3816

Descansada por já poder ir de férias para a semana, estava na altura de comer e fomos à Pastelaria de Daniel Roos (podem ver o livro dele na loja da Pastelaria). Este chef de pastelaria sueco é bastante conhecido (ok, no meio…) e ouvi ontem que foi ele fez a sobremesa para a festa de anos do rei de alguns dos casamentos reais. (não que isso me interesse muito.)

IMG_3820
Bolo de maca e canela para mim, chocolate branco e yuzu para o Viking.

Isto eram umas onze da manha mas nunca é cedo para provar estas delicias.

Eu adorei a mousse de maca que parecia mesmo um sabonete de glicerina, uma das minhas paixões 🙂

IMG_3822

IMG_3823

Já a caminho de casa, e com a hora de almoco a aproximar-se o viking surpreendeu-me com uma visita e almoco no hotel a Marmota Dourada.

É um local magnifico, com vista sobre o lago, calmo, serviço e comida cinco estrelas. Eu mal posso esperar por voltar para aqui passar um fim de semana inteirinho, e depois conto-vos tudo.

IMG_3829
O café do hotel com a marmotinha dourada

IMG_3832

IMG_3834
A sala de jantar

Depois de almoço o Magnus levou-me ainda a Gränna. Foi nesta pequena vila que um viuva inventou os famosos polkagrisar dos quais já vos falei aqui e as ruas estão repletas de lojas que fazem e vendem este doce.

IMG_3842

IMG_3846

IMG_3845

IMG_3844

Na página da Anasbageri no facebook há um vídeo desta loja 🙂

E depois de um dia de aventuras, a caminho de casa onde os meninos nos esperam. Obrigada por nos terem acompanhado.

IMG_3841