A Pastelaria · Ana - cozinheira · bolinhos e bolachas · bolos e sobremesas · desafios receitas

Bolo de queijo do restaurante, frio, chuva e receitas a condizer

Chegou o frio, este fim de semana já saíram os casacos de Outono do armário, e as luvas e cachecóis  estão no bengaleiro prontos a serem usados amanhã dsc_0099

Continue reading “Bolo de queijo do restaurante, frio, chuva e receitas a condizer”

A Pastelaria · bolos e sobremesas · Cremes, molhos, gelados e mousses · desafios receitas · gelados e mousses

A demanda da sorveteria e….Lia e Avelã, este é para vocês.

Em contagem decrescente para as minhas férias, e nem imaginam como estou necessitada de descanso, mas na Padaria continuam os vossos gelados.

DSC_0932-2

Como se lembrarão há uns meses a minha antiga sorveteria foi para o céu, e demorou algum tempo até ter comprado uma substituta.

Continue reading “A demanda da sorveteria e….Lia e Avelã, este é para vocês.”

bebidas · Por aí · Restaurantes

Almoço na Taberna do Mercado e a nova paixão do Viking

O almoço na Taberna do Mercado do chef Nuno Mendes foi a melhor refeição desta nossa visita a Londres. Podem ler mais sobre este dia aqui.

Sempre achei estranho que durante as férias se queira comer e viver como se estivéssemos em casa. São os ingleses que não passam sem o fish and chips, os suecos que vão para hotéis com outros suecos ouvir música sueca, comer almôndegas e salmão fumado.

IMG_4013

Continue reading “Almoço na Taberna do Mercado e a nova paixão do Viking”

A minha vida na Suécia · Ana - cozinheira · comida sueca · Ingredientes Novos · pão, sourdough

Falhas indesculpáveis – e scones de alho selvagem e queijo de especiarias

Sofro para a maioria dos meus colegas de três falhas indesculpáveis no mundo da cozinha profissional: não como carne, detesto ovos, e não suporto sequer o cheiro a alhos.

DSC_1008.jpg

 

Em minha casa, espantem-se  que eu nem pareço portuguesa, não entra uma cabeça de alhos há anos. Quando o Tom ainda era o head chef, havia num menu uma entrada com puré de alhos.Cada vez que preparava este prato vinha para casa com dores de cabeça. Os alhos eram  branqueados várias vezes em leite  para lhe retirar o seu sabor e cheiro mais forte, mas para mim o horror era o mesmo. Provando a pontinha de uma colher do puré, não conseguia durante horas sentir o sabor de outro produto que não fossem alhos.

DSC_1011

Abro uma exceção  para o alho selvagem, e como rapariga dado a extremos que sou, vou do ódio à paixão assim que chega a época do Ramslök.

Este ingrediente cresce por todos os lados aqui na Suécia, até nos parques da cidade! Na primavera fazemos no restaurante uma quantidade enorme de óleo de Ramslök que congelamos para usar durante o resto do ano.

DSC_1014
As florzinhas sao também comestíveis e uma delicia!

Em casa uso-o também em óleo, para aromatizar purés, em sopas, pesto….e hoje em scones!

Para contrastar com o sabor do alho usei também queijo de especiarias. O Kryddost é um queijo sueco aromatizado com cominhos e cravinho e em Portugal talvez o encontrem no Ikea.

DSC_1020

O aroma e sabor destes scones é irresistível, a mim sabem-me a primavera, e admito com vergonha, que hoje quebrei até um dos princípios do food blogger: comi antes de  tirar as fotografias, ou, fui comendo.

DSC_1021
A comer enquanto preparo o post…uma vergonha.

Eu tinha a intenção de congelar os scones para um piquenique no próximo fim de semana, mas parece-me que esta fornada não chega até amanhã …

 Scones de alho selvagem e queijo de especiarias

Ingredientes para 6 scones:

(alternativas no fim do post)

  •  225 g de farinha de trigo
  • 2 dl de leite frio
  • 75 g de manteiga fria em cubinhos
  • 25 g de alho selvagem picado
  • 70  g de queijo ralado
  • sal e pimento
  • 1 ovo
  • 1 colher de café de fermento em pó

 

Preparação:

Como sabem neste tipo de massas o segredo é não as trabalhar demasiado e  um formo bem quente.

Aqueçam o forno a 200·C.

Batam o leite e o ovo, reservem.

Numa tigela grande misturem a farinha com o fermento o queijo ralado.

Acrescentem a manteiga e esfreguem a farinha e a manteiga entre  as pontas dos dedos até obterem uma espécie de areia. (não esfarelem a manteiga demasiado)

Adicionem o ovo e o leite (deixando um restinho para pincelar) e misturem apenas o suficiente para ligar)

Voltem o preparado num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal e usando o próprio papel, formem um retângulo ou um circulo de acordo com o formato dos scones que querem fazer. Cortem o retângulo em 6 partes ou o circulo em fatias. (Podem também usar um cortador de bolachas, mas acabamos por trabalhar demasiado a massa e os scones não crescem tanto.)

 

Afastem um pouco cada bocadinho, pincelem com o resto do leite e ovo e levem ao forno quente durante 12 minutos.

Sirvam os scones quentinhos com manteiga, não é preciso mais nada.

 

Algumas alternativas:

Podem substituir o alho selvagem por cebolinho ou outra erva fresca de que gostem.

Em vez do queijo de especiarias podem optar por cheddar, parmesão ou queijo da ilha.